Tréguas temporárias Israel- Hamas começam às 07h desta sexta-feira, 13 reféns vão ser libertados

ARQUIVO Manifestante em Nicarágua protesta contra a intervenção militar de Israel na Faixa de Gaza
ARQUIVO Manifestante em Nicarágua protesta contra a intervenção militar de Israel na Faixa de Gaza Direitos de autor Esteban Felix/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O primeiro grupo de reféns será libertado às 16h00 de sexta-feira, de acordo com informações avançadas pelo porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros do Qatar.

PUBLICIDADE

As tréguas entre Israel e o Hamas na Faixa de Gaza entraram em vigor esta sexta-feira, às 7h00, hora local, e o primeiro grupo de reféns será libertado às 16h00. 

A informação foi anunciada da na quinta-feira pelo porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros do Qatar, Majed Al-Ansari,, e confirmada, pouco depois, pelos responsáveis do Hamas.

Ainda de acordo com o Qatar,  está prevista para as 16:00 locais, a libertação de 13 dos 50 reféns do Hama****s que constam do acordo de libertação.

"Acabámos de terminar toda a comunicação, com todas as partes, a fim de apurar as listas dos civis que serão libertados como resultado do acordado entre ambas as partes. As listas foram entregues a ambos os lados. E, finalmente, em comunicação agora há pouco, a lista foi entregue ao serviço de inteligência israelita, o Mossad, a fim de facilitar a implementação", anunciou Majed al-Ansari.

A entrada de  ajuda humanitária em Gaza é esperada após o início do cessar-fogp através da passagem de Rafah assim que se inicie o cessar-fogo.

Na sequência da libertação destes reféns, o Qatar diz esperar que Israel cumpra com a sua palavra e liberte palestinianos, como está acordado.

O acordo pareceu ter enfrentado um obstáculo de última hora quando o conselheiro de segurança nacional de Israel, Tzachi Hanegbi, anunciou um atraso de um dia, na noite de quarta-feira, sem fornecer um motivo.

O cessar-fogo, que tinha sido originalmente definido para começar na manhã de quinta-feira, acabou por ser adiado para sexta-feira.

Aproximadamente 240 pessoas foram levadas para Gaza, no ataque mortal do Hamas, no qual 1.200 pessoas foram mortas.

O novo balanço de vítimas do Ministério da Saúde da Faixa de Gaza diz que 15 mil pessoas já foram mortas na ofensiva israelita contra o Hamas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mais onze reféns do Hamas libertados na noite de segunda para terça-feira

Primeiros-ministros espanhol e belga dizem a Israel que resposta militar não deve pôr em causa civis

Milhares de músicos assinam carta a pedir um cessar-fogo em Gaza