EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Chanceler alemão manifesta apoio ao povo judeu

Hanukkah marcado pelo ataque do Hamas
Hanukkah marcado pelo ataque do Hamas Direitos de autor AFP
Direitos de autor AFP
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Olaf Scholz acendeu a primeira vela do Hanukkah (Festival das Luzes), em Berlim.

PUBLICIDADE

O chanceler alemão manifestou o seu apoio inabalável ao povo judeu, ao acender a primeira vela do Hanukkah (Festival das Luzes) num gigantesco candelabro de menorá em frente à Porta de Brandenburgo, em Berlim.

Olaf Scholz estava acompanhado por familiares de um judeu desaparecido, raptado pelo Hamas no ataque de 7 de outubro.

"Desejo que a vela de Hanukkah brilhe muito para além desta praça e por muito mais tempo do que apenas durante os oito dias de Hanukkah", afirmou Scholz. "O Hanukkah é sinónimo de esperança e confiança. Ambas são especialmente necessárias nos dias que correm. O ataque terrorista do Hamas a Israel abalou-nos a todos profundamente. É dirigido contra o único Estado judeu e os seus cidadãos e, ao mesmo tempo, contra a própria humanidade", acrescentou o chanceler. 

Esta quinta-feira, foram acesas velas no Muro das Lamentações, em Jerusalém, para recordar os israelitas que foram feitos reféns por militantes do Hamas.

Mais de 130 velas foram acesas durante uma cerimónia.

Familiares dos reféns caminharam em Telavive com velas durante uma vigília na véspera do primeiro dia de Hanukkah.

No início do dia, estudantes reuniram-se em Telavive para assinalar o Festival das Luzes, que dura oito dias e simboliza o triunfo da luz sobre a escuridão.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Dezenas de palestinianos detidos e transportados em roupa interior pelo exército israelita

Alemanha "preocupada" com resultados das eleições francesas apesar da derrota da extrema-direita

Maximilian Krah expulso: AfD nomeia novo chefe da delegação do Parlamento Europeu