Javier Milei toma posse como presidente da Argentina

Javier Milei
Javier Milei Direitos de autor Natacha Pisarenko/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Volodymir Zelenskyy esteve presente na cerimónia e trocou palavras com Vikor Orbán.

PUBLICIDADE

Javier Milei assumiu neste domingo a presidência da Argentina.

Como candidato, Milei prometeu limpar a corrupção do "establishment" político, eliminar o Banco Central, acusado por ele de imprimir dinheiro e alimentar a inflação, e substituir o peso, que se desvaloriza rapidamente, pelo dólar americano.

Após a tomada de posse, quebrou a tradição ao proferir o seu discurso inaugural não perante os legisladore, mas perante os seus apoiantes reunidos no exterior do edifício do Congresso Nacional - de costas para a legislatura.

Depois de ler o discurso da tomada de posse, seguiu para o palácio presidencial para se encontrar com personalidades internacionais, entre elas o primeiro-ministro húngaro Viktor Orbán, o líder do partido espanhol Vox, Santiago Abascal; o ex-presidente brasileiro Jair Bolsonaro.

O Presidente ucraniano também esteve em Buenos Aires para assistir à tomada de posse do novo Presidente. Nas imagens transmitidas do Senado, vê-se Volodymir Zelenskyy e Vikor Orbán, aliado de Putin, a trocarem palavras. O gabinete do Presidente ucraniano ainda não fez comentários sobre esta conversa.

Foi a primeira deslocação de Zelenskyy à América Latina, numa altura em que Kiev tenta obter o apoio dos países em desenvolvimento.

O novo presidente da argentina já se ofereceu para acolher uma cimeira entre a Ucrânia e os países da região.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Manifestação contra Javier Milei reprimida pela polícia argentina

501 caixões e 200 sacos com cadáveres encontrados abandonados na Argentina

As Falklands pertencem ao Reino Unido? Nova sondagem revela que nem toda a gente na Europa está de acordo