Zelenskyy reforça pedidos de auxílio nos EUA e Biden avisa: bloquear ajuda é dar a mão a Moscovo

Zelenskyy e Biden em conferência conjunta na Casa Branca
Zelenskyy e Biden em conferência conjunta na Casa Branca Direitos de autor Andrew Harnik/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Zelenskyy foi recebido na Casa Branca e falou durante 90 minutos aos senadores norte-americanos. Ajuda à Ucrânia não foi desbloqueada mas não vem de mãos a abanar: presidente dos EUA anunciou novas verbas para auxílio militar a Kiev.

PUBLICIDADE

O presidente da Ucrânia foi recebido na terça-feira na Casa Branca, em mais uma ação de pressão para desbloquear fundos para Kiev continuar a combater a Rússia. Os membros do Congresso norte-americano, porém, não alteraram a sua posição, mesmo depois de uma reunião de 90 minutos à porta fechada dos senadores com Zelensky, e continuam a exigir que os fundos sejam investidos na segurança das fronteiras norte-americanas.

"Os russos em Moscovo celebraram quando os republicanos votaram para bloquear a ajuda à Ucrânia na semana passada", disse Biden, em conferência de imprensa ao lado de Zelenskyy. "O anfitrião do espetáculo gerido pelo Kremlin disse: muito bem, republicanos, isso é bom para nós". Menos irónico, o presidente dos Estados Unidos acrescentou: "Se estão a ser celebrados por propagandistas russos, talvez seja altura de repensar o que estão a fazer. A História vai julgar severamente aqueles que viraram as costas à causa da liberdade".

Zelenskyy procurou convencer os senadores a desbloquearem um pacote de ajuda militar de 61 mil milhões de dólares, mas os opositores exigem compromissos em matéria de imigração.

Ainda assim, Biden anunciou um pacote adicional de assistência militar de 200 milhões de dólares, cerca de 185 milhões de euros, à Ucrânia, insistindo que Kiev está a fazer progressos. "Não vou afastar-me da Ucrânia, nem o povo americano", sublinhou.

O presidente dos Estados Unidos condenou ainda as táticas de negociação dos republicanos, acusando-os de tentarem forçar uma agenda extremista ao impedirem o desbloqueio das verbas para Kiev. "Precisamos de verdadeiras soluções", disse Biden.

No seu périplo norte-americano, Zelenskyy reuniu-se ainda com o presidente da Câmara dos Representantes, Mike Johnson, que veio garantir, após o encontro, que está ao lado da Ucrânia contra a "brutal invasão de Putin". Porém, criticou a estratégia da Casa Branca, que acusou de pedir milhões de dólares sem supervisão adequada nem estratégia para Kiev vencer Moscovo.

Os republicanos pedem, em troca do desbloqueio dos fundos militares, mais ações para combater a vaga de imigração na fronteira entre os EUA e o México, bem como uma reforma fundamental da imigração com mudanças no sistema de asilo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Biden convida Zelenskyy a visitar Washington para tentar desbloquear ajuda à Ucrânia

Zelenskyy espera que negociações de adesão da Ucrânia à UE comecem até ao final do ano

Primárias no Michigan: Biden vence corrida dos democratas e Trump triunfa entre republicanos