EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Repórter da Al Jazeera morto por drone israelita em Gaza

Guerra em Gaza dura desde o dia 7 de outubro
Guerra em Gaza dura desde o dia 7 de outubro Direitos de autor Ariel Schalit/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Ariel Schalit/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Jornalistas estavam numa escola que foi atacada pelas forças israelitas em Khan Younis.

PUBLICIDADE

Um repórter de imagem da rede Al-Jazeera, Samer Abu Daqqa, morreu de ferimentos após ter alegadamente sido alvo de um ataque de um drone israelita. Juntamente com Wael Dahdouh, correspondente da Jazeera em Gaza, entrou numa escola que tinha sido atingida por um ataque anterior, quando um drone lançou um segundo ataque. Dahdouh conseguiu caminhar sozinho até aos médicos, mas Daqqa, gravemente ferido, esvaiu-se em sangue até à morte: a ambulância não conseguiu chegar até ele e levá-lo para o hospital porque as estradas estavam bloqueadas com escombros.

A tragédia ocorreu em Khan Younis, no sul de Gaza, onde continuam os combates. O exército de Israel refere em particular que ali vivia Yahya Sinwar, o chefe do Hamas em Gaza. Pensa-se que se escondeu ali depois da sua fuga da cidade de Gaza.

Na rede social X, a Al Jazeera diz considerar este um ataque deliberado contra os seus jornalistas

Khan Younis é imediatamente adjacente a Rafah, que até há pouco tempo era o único ponto de passagem de ajuda humanitária. Na sexta-feira, o governo israelita tomou a decisão de permitir a abertura de outro posto fronteiriço com o Egito, Kerem Shalom, para a passagem de carga humanitária. Note-se que Israel prometeu (no âmbito do acordo de troca de reféns) permitir a passagem diária de 200 camiões de carga para Gaza, enquanto Rafah só tem capacidade de deixar passar 100. O governo israelita afirma que Kerem Shalom será apenas uma solução temporária, até que a passagem de Rafah seja alargada, uma obra que os EUA prometeram financiar.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Primeiro-ministro israelita promete “destruir o Hamas” após emboscada mortal

Ataque ao campo de al-Mawasi, Netanyahu: "Não há certezas sobre a morte de Deif"

Gaza: pelo menos 71 mortos e mais de 200 feridos num ataque ao campo de al-Mawasi