EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Reino Unido destina 3,5 mil milhões de euros por ano à Ucrânia "durante o tempo que for necessário"

Soldado ucraniano em zona de guerra
Soldado ucraniano em zona de guerra Direitos de autor Andrii Marienko/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Andrii Marienko/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

É a maior contribuição financeira do Reino Unido desde o início da invasão russa em 2022. De visita a Kiev, David Cameron sublinhou que Ucrânia tem direito a usar as armas forncidas por Londres para atacar alvos em solo russo.

PUBLICIDADE

O Reino Unido anunciou que vai entregar à Ucrânia três mil milhões de libras (cerca de 3,5 mil milhões de euros) por ano durante "o tempo que for necessário". O anúncio foi feito na quinta-feira pelo chefe da diplomacia britânica, David Cameron, em Kiev, onde se encontrou com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, e o ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano, Dmytro Kuleba.

"Vamos dar três mil milhões de libras todos os anos, enquanto for necessário. O pacote de ajuda é o maior do Reino Unido até à data", disse Cameron, citado pelas agências internacionais.

"Alguns desses (equipamentos) estão a chegar à Ucrânia hoje, enquanto estou aqui", acrescentou.

Na segunda visita a Kiev desde que se tornou ministro dos Negócios Estrangeiros, Cameron afirmou que a Ucrânia tem o direito de utilizar as armas fornecidas por Londres para atacar alvos no interior da Rússia e que cabe a Kiev decidir se o fará.

"A Ucrânia tem esse direito. Como a Rússia está a atacar dentro da Ucrânia, compreende-se perfeitamente que a Ucrânia sinta a necessidade de se defender", delcarou.

Cameron aplaudiu ainda a aprovação de um pacote de ajuda de 61 mil milhões de dólares (perto de 57 mil milhões de euros), há muito adiado, pelo Congresso dos Estados Unidos.

"É absolutamente crucial, não apenas em termos das armas que trará, mas também do impulso moral que trará às pessoas aqui na Ucrânia".

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, agradeceu o apoio britânico e pediu que o material de guerra chegue "tão cedo quanto possível".

"Em primeiro lugar, veículos blindados, munições e mísseis de vários tipos", realçou Zelenskyy.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Análise: reforço da ajuda militar não será suficiente para dar a vitória à Ucrânia

Biden assina pacote de ajuda de 95 mil milhões de dólares para Ucrânia, Israel e Taiwan

Guerra na Ucrânia: qual o impacto do pacote de 61 mil milhões de dólares dos EUA?