Desnutrição ameaça sobrevivência de milhares de crianças em Gaza

Casos de desnutrição infantil cresce em Gaza
Casos de desnutrição infantil cresce em Gaza Direitos de autor Abed Rahim Khatib/Abed Rahim Khatib/picture-alliance/dpa/AP Images
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Mais de 3.000 casos de diarreia são diagnosticados por dia em crianças na Faixa de Gaza

PUBLICIDADE

Em Gaza, milhares de crianças vivem em condições precárias e o aumento dos casos de diarreia e má nutrição está a contribuir para um número crescente de mortes infantis. Segundo a Unicef, a desnutrição ameaça a sobrevivência de 1,1 milhões de crianças na Faixa de Gaza.

Os casos de diarreia em crianças com menos de cinco anos aumentaram de 48.000 para 71.000 em apenas uma semana, desde o dia 17 de dezembro, o que equivale a 3.200 novos casos por dia. O aumento significativo de casos, num curto período de tempo, é um forte indicador de que a saúde infantil na Faixa de Gaza está a deteriorar-se rapidamente.

De acordo com Catherine Russell, diretora-executiva da UNICEF, as vidas das crianças em Gaza estão cada vez mais em perigo e devem ser protegidas.

"As crianças e as famílias na Faixa de Gaza continuam a ser mortas e feridas nos combates e as suas vidas estão cada vez mais em risco devido a doenças evitáveis e à falta de alimentos e água. Todas as crianças e civis devem ser protegidos da violência e ter acesso a serviços e bens básicos", defendeu a responsável.

Cerca de 90% das crianças com menos de dois anos estão a consumir produtos de dois ou menos grupos alimentares, de acordo com um inquérito da UNICEF realizado a 26 de dezembro.

Também a diversidade alimentar das mulheres grávidas está gravemente comprometida, dado que 25% consumiram apenas um tipo de alimento no dia anterior e quase 65% apenas dois.

Blinken em Israel

O Secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, chegou a Telavive na segunda-feira à noite, depois de passar pela Arábia Saudita.

Blinken tem marcado encontros com o presidente de Israel, o ministro dos Negócios Estrangeiros e com o primeiro-ministro, com o objetivo de evitar que o conflito entre Israel e o Hamas alastre à região. Na sua digressão pelo Médio Oriente, o secretário de Estado norte-americano já se encontrou com o líder dos Emirados Árabes Unidos, o xeque Mohammed bin Zayed, em Abu Dhabi, antes de viajar para a Arábia Saudita para conversações com o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman.

Blinken teve reuniões semelhantes no Qatar, na Jordânia, na Turquia e na Grécia, onde afirmou ter tido pelo menos “um modesto sucesso” na sua missão, dado que todas as nações prometeram contribuir para o esforço do planeamento de reconstrução e governação de Gaza após o fim dos combates.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

África do Sul argumenta com morte e fome na acusação de genocídio contra Israel

Forças israelitas terminam operações no norte de Gaza

Agência Humanitária da ONU na Palestina alerta para "ponto de rutura" em todas as atividades