Sérvia acolhe milhares que fugiram da guerra

Novi Sad, Grécia
Novi Sad, Grécia Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

No total, 150 mil russos e 16 mil ucranianos foram oficialmente registados como refugiados a viver neste país dos Balcãs Ocidentais.

PUBLICIDADE

Milhares de refugiados ucranianos e cidadãos russos têm fugido para a Sérvia desde o início da guerra, há dois anos. Alguns deles seguiram para a Europa Ocidental e outros ficaram. No total, 150 mil russos e 16 mil ucranianos foram oficialmente registados neste país dos Balcãs Ocidentais.

Zhenya veio de Sakalin, uma cidade do Extremo Oriente russo, apenas algumas semanas após o início da guerra e instalou-se em Novi Sad.

“Quando a guerra começou, sentimo-nos muito mal. Chorámos durante vários dias. Senti-me como se estivesse numa gaiola. Sinto-me, talvez não culpada, mas responsável pelo facto de o meu país matar pessoas de um país vizinho em meu nome”, lamenta.

A recente morte de Alexei Navalny foi um duro golpe em Novi Sad, onde os cidadãos deixaram flores numa espécie de memorial criado para lembrar o principal opositor de Vladimir Putin. Navalny é visto como um símbolo de protesto e oposição e como exemplo de uma pessoa corajosa.

Zhenya chegou com os filhos, que agora frequentam uma escola sérvia. Trabalha no setor das Tecnologias de Informação e pode trabalhar a partir de casa. Gosta da vida em Novi Sad e a população local aceitou a sua família. Conta que quando estava à procura de uma escola para os filhos, no primeiro dia, o diretor permitiu que eles ficassem até ao final do ano letivo, apesar de os seus documentos ainda não estarem prontos.

Nos tempos livres, Zhenya vai a concertos de música clássica e dança tango. Quando lhe perguntam se espera regressar à Rússia, diz que não tem a certeza, principalmente por causa do futuro dos seus filhos.

Maioria dos refugiados ucranianos quer regressar ao país

 Os ucranianos que ficaram na Sérvia querem regressar ao seu país. 

O marido de Ivanna Korniiko está atualmente em Kiev, depois de um ano a combater na frente de batalha. "Há dois anos que não vejo o meu marido. Vivia com a minha mãe e a minha irmã na cidade de Kamenjec-Podoljski. É agradável na Sérvia, mas é mais agradável em casa", explica.

De acordo com os números oficiais, até à data, cerca de 80 mil refugiados ucranianos passaram pela Sérvia e instalaram-se na União Europeia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Detidos suspeitos de morte de menina de dois anos

Sérvios assinalam 25 anos dos bombardeamentos da NATO

Oposição sérvia promete parar o trânsito em Belgrado durante 24 horas