Violência de Género em destaque na W20

Violência contra as mulheres
Violência contra as mulheres Direitos de autor Francisco Seco/Copyright 2018 The AP. All rights reserved.
De  Georgia Orlandi
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Roma recebeu representantes da próxima cimeira do Fórum das Mulheres do G20.

PUBLICIDADE

O debate político sobre a violência contra as mulheres continua. Os representantes da próxima cimeira do W20, o fórum das mulheres do G20 que terá lugar no Brasil, foram convidados pela liderança italiana do grupo para trocar pontos de vista sobre a questão. As forma de promover o empoderamento das mulheres foi um dos destaques da reunião. A falta de uma definição comum de violação na primeira lei europeia de combate à violência contra as mulheres também foi discutida no encontro.

"O W20 lança um apelo para rejeitar a diretiva da UE que será votada pelo parlamento em abril. Queremos que seja rejeitada porque não inclui a violação e os abusos sexuais no local de trabalho. Isso também significa ignorar os requisitos da Convenção de Instambul", explica Linda Laura Sabbadini, Presidente do W20 2021.

Sondagens recentes mostram que a situação em Itália é tão grave como no resto da Europa. É necessário fazer mais para combater todas as formas de violência baseada no género.

"Nesta altura, o governo italiano tem de mostrar alguma coerência: se a Itália votou a favor da criminalização da violação na Europa, as leis italianas têm de ser melhoradas. Lançámos dois apelos para ganhar tanto na Europa como em Itália", sublinha Sabbadini. 

Apesar de terem sido atribuídos mais fundos às organizações de mulheres, o crime baseado no género não é reconhecido como um crime autónomo na legislação italiana.

"Penso que atualmente existe uma maior atenção em relação a esta questão. E isso não se deve ao facto de as histórias de mulheres mortas pelas mãos dos seus parceiros se terem tornado notícia de primeira página, mas sim ao facto de não só as mulheres, mas também os homens, em particular, se terem tornado mais conscientes do problema", defende Martina Semenzato, Presidente da Comissão Parlamentar para a violência contra as mulheres.

A delegação italiana que se reuniu na terça-feira no Parlamento vai participar na cimeira do W20 no Brasil. O objetivo é levar os conhecimentos e a experiência italianos para abordar as questões relacionadas com as mulheres. A presidência brasileira do W20 compromete-se a combater a violência baseada no género, tornando-a um dos principais temas da cimeira.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Moldova denuncia esforços da Rússia para influenciar referendo sobre UE

"Pela primeira vez temos uma abordagem europeia comum em matéria de imigração e asilo"

Espanha vai acabar com os vistos gold para investidores imobiliários estrangeiros