Israel enviará delegação ao Qatar para conversações de paz. População exige libertação de reféns

Protests in Tel Aviv
Protests in Tel Aviv Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O gabinete de guerra de Israel aprovou na noite de sábado a continuação das negociações de paz e o envio de negociadores ao Qatar. A população israelita exige ao governo de Nethanyau a libertação imediata dos reféns.

PUBLICIDADE

O gabinete de guerra de Israel aprovou na noite de sábado a continuação das negociações de paz e o envio de negociadores ao Qatar para discutir um cessar-fogo na guerra contra o Hamas e o retorno de reféns mantidos em Gaza disse as autoridades e a imprensa local.

A mesma delegação reuniu-se em Paris, no sábado, com mediadores dos EUA, do Qatar e do Egipto. Segundo relatos ainda não confirmados, o Hamas expressou maior flexibilidade em muitos pontos.

Um alto funcionário egípcio, envolvido na mediação entre Israel e o Hamas, revelou que o projeto de acordo para um cessar-fogo implica a libertação de aproximadamente 40 mulheres e reféns mais velhos mantidos em Gaza, em troca de até 300 prisioneiros palestinianos detidos por Israel, principalmente mulheres, menores e idosos.

O oficial egípcio delineou uma proposta de suspensão de seis semanas nos combates. 

Durante este período, prevê-se que centenas de camiões com ajuda humanitária sejam autorizados a entrar em Gaza diariamente, incluindo a região norte do território sitiado.

Ambas as partes concordaram em manter as negociações ao longo desta pausa, com a intenção de facilitar libertações adicionais e, finalmente, alcançar um cessar-fogo permanente.

No entanto, as negociações deverão ser interrompidas a partir de 10 de março, o início do mês de jejum muçulmano do Ramadão.

Contudo, apesar dos esforços diplomáticos, o primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu anunciou que vai reunir-se "nos próximos dias" com o seu gabinete para aprovar mais planos operacionais de ação em Rafah, incluindo detalhes sobre a evacuação de civis, de acordo com Netanyahu.

As Forças de Defesa de Israel (IDF, na sigla em inglês) disseram que vão “revisitar” todas as áreas da Faixa com soldados que realizarão uma busca mais detalhada por reféns e líderes do Hamas, disse o chefe do Estado-Maior Geral, Herzi Halevi, no sábado.

Aumenta a tensão nas ruas de Tel Aviv

Também no sábado à noite, a polícia teve de dispersar um protesto com canhões de água. 

Os manifestantes estão contra o governo de Netanyahu e exigem a libertação imediata dos reféns mantidos na Faixa de Gaza por militantes do Hamas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Primeiro-ministro palestiniano apresentou a demissão. Negociações para trégua em Gaza no bom caminho

Israel e Hamas avançam nas negociações para um cessar-fogo

Netanyahu rejeita proposta do Hamas para cessar-fogo de 135 dias