EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Netanyahu rejeita proposta do Hamas para cessar-fogo de 135 dias

Benjamin Netanyahu
Benjamin Netanyahu Direitos de autor Gil Cohen-Magen/Pool via AP
Direitos de autor Gil Cohen-Magen/Pool via AP
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Primeiro-ministro israelita diz que que não haverá acordo de paz sem "vencer o Hamas". Netanyahu rejeita proposta de cessar-fogo de 135 dias para a libertação de reféns e um acordo para pôr fim à guerra em Gaza.

PUBLICIDADE

O primeiro-ministro israelita rejeitou a proposta de cessar-fogo em três fases para a libertação de reféns e um acordo para pôr fim à guerra em Gaza, que foi apresentada pelo Hamas. Benjamin Netanyahu sublinhou que um acordo de paz não será possível sem a eliminação do Hamas.

"Israel não vai chegar a esses acordos, tratados de paz e normalização sem derrotar o Hamas", reiterou, durante uma conferência de imprensa, esta tarde, após ter estado reunido com o secretário de Estado norte-americano Antony Blinken.

Netanyahu considerou que uma "rendição às exigências delirantes do Hamas" poderia desencadear "outro massacre e uma grande tragédia em Israel"

Questionado sobre as condições do acordo para a libertação de reféns israelitas em Gaza, afirmou que Israel "não se comprometeu com nada". O Hamas exigia a libertação de 1500 palestinianos detidos pelas forças israelitas.

O primeiro-ministro israelita acredita que a vitória está por uma "questão de meses" e prometeu que o país alcançará todos os objetivos da guerra: a libertação de todos os reféns e a eliminação total do Hamas.

Também alegou que as Forças de Defesa de Israel têm conseguido "conquistas sem precedentes". Como exemplo, apontou a morte de "mais de 20 mil terroristas" em quatro meses. 

Cerca de 28 mil palestinianos terão morrido desde o início da guerra em Gaza. Mais de 10 mil eram crianças.

Netanyahu revelou ainda que transmitiu a Antony Blinken a intenção de, após eliminar o Hamas, garantir que a Faixa de Gaza "é desmilitarizada para sempre". Para atingir esse fim, diz que Israel "vai atuar onde for necessário e pelo tempo que for necessário" para eliminar o Hamas.

O líder de Israel deixou ainda clara a intenção de substituir a Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados Palestinianos(UNRWA) em Gaza. A organização tem estado sob fogo nas últimas semanas, após Telavive ter alegado que funcionários da UNRWA estavam envolvidos nos ataques de 7 de outubro levados a cabo pelo Hamas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Israel enviará delegação ao Qatar para conversações de paz. População exige libertação de reféns

Bombardeamento israelita em Gaza

Qatar diz que recebeu resposta "positiva" do Hamas para acordo para a libertação de reféns