Israel diz ter descoberto túnel com 10 quilómetros em Gaza. Biden espera cessar-fogo até segunda

Faixa de Gaza
Faixa de Gaza Direitos de autor Mahmoud Essa/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Mahmoud Essa/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente norte-americano diz que pausa temporária nas hostilidades entre Israel e Hamas poderá estar próxima.

PUBLICIDADE

O exército israelita revelou, na segunda-feira, ter descoberto um túnel subterrâneo com 10 quilómetros de comprimento, que liga o centro e o norte da Faixa de Gaza.

Segundo as forças israelitas, trata-se de “um túnel terrorista" que passa por baixo de um hospital e de uma universidade, pode ler-se em comunicado. Um dos principais objetivos da ofensiva israelita tem sido destruir os túneis subterrâneos que, segundo as Forças de Defesa de Israel, são utilizados pelo Hamas para transportar armas, reféns, combatentes e para abastecimento logístico.

Também na segunda-feira, o Crescente Vermelho palestiniano anunciou a suspensão das suas missões na Faixa de Gaza durante 48 horas, dada a “impossibilidade de garantir a segurança das equipas médicas de emergência, bem com dos feridos e dos doentes”, segundo as agências internacionais. Vários doentes do hospital Al Amal em Khan Younis, no sul da Faixa de Gaza, tiveram de ser transferidos para outros hospitais em Rafah devido à necessidade urgente de intervenção médica.

Também na segunda-feira, o primeiro-ministro palestiniano, Mohammed Shtayyeh, apresentou a demissão ao presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmoud Abbas, face à situação “política, económica e de segurança”, resultante da “agressão” de Israel contra a Cisjordânia.

De acordo com Shtayyeh, citado pelas agências internacionais, o povo palestiniano enfrenta “um ataque feroz e sem precedentes, genocídio, tentativas de deslocação forçada, fome em Gaza, intensificação do colonialismo e do terrorismo dos colonos e invasões repetidas de campos e localidades [onde se encontram os refugiados] na Cisjordânia”.

Shtayyeh, que está à frente da Autoridade Palestiniana desde 2019, defendeu que são necessárias "novas soluções governamentais e políticos que tenham em conta a nova realidade em Gaza e a necessidade de um consenso baseado na unidade palestiniana", citou a Al Jazeera.

Biden diz que cessar-fogo pode estar próximo

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou durante uma visita a Nova Iorque que um novo cessar-fogo temporário entre Israel e o Hamas pode acontecer até à próxima segunda-feira.

"O meu conselheiro de segurança nacional diz-me que estamos perto. Estamos perto. Ainda não terminámos", disse Biden. "A minha esperança é que, na próxima segunda-feira, tenhamos um cessar-fogo", revelou o presidente norte-americano.

O gabinete de guerra de Israel aprovou, no fim de semana, os termos gerais de um acordo que prevê uma pausa nos combates durante várias semanas em troca da libertação dos reféns detidos em Gaza. O Egito, Qatar, Estados Unidos e França foram alguns dos países que atuaram como intermediários entre Israel e o Hamas, numa tentativa de conseguir uma trégua.

Segundo as agências internacionais, este acordo pode incluir a libertação de várias centenas de detidos palestinianos por Israel.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Primeiro-ministro palestiniano apresentou a demissão. Negociações para trégua em Gaza no bom caminho

Aumenta a escassez de alimentos em Gaza

Israel enviará delegação ao Qatar para conversações de paz. População exige libertação de reféns