Família italiana libertada após quase dois anos em cativeiro no Mali

Família de italianos, que esteve dois anos em cativeiro no Mali, regressa a Roma
Família de italianos, que esteve dois anos em cativeiro no Mali, regressa a Roma Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Casal com cerca de 60 anos, e filho na casa dos 40, estão de boa saúde, garante o governo italiano. Os três tinham sido raptados em maio de 2022 por um grupo ligado à Al-Qaeda no sul do Mali, onde viviam há vários anos.

PUBLICIDADE

Os três italianos que estavam em cativeiro desde maio de 2022 no Mali aterraram esta terça-feira em Roma, poucas horas após terem sido libertados. 

Rocco Langone, Maria Donata Caivano e o filho, Giovanni, foram sequestrados por um grupo ligado à Al-Qaeda quando estavam em casa, em Koutiala, no sul do Mali, onde viviam há vários anos. De acordo com o governo italiano, faziam parte de uma comunidade de testemunhas de Jeová que estava "bem integrada".

O ministro italiano dos Negócios Estrangeiros, Antonio Tajani, recebeu a família no aeroporto e informou que estão todos de boa saúde. 

O executivo de Giorgia Meloni informou, em comunicado, que o local onde os italianos viviam está "particularmente infiltrada de jihadistas".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Países do G7 ponderam utilizar ativos russos congelados para financiar a Ucrânia

Mil italianos assinam manifesto para que Draghi seja presidente da Comissão Europeia

Itália prepara-se para negociar com Bruxelas termos da trajetória do ajuste fiscal