Secretário da Defesa dos EUA diz que NATO será arrastada para a guerra se Ucrânia perder

Vários edifícios residenciais e infraestruturas foram atingidas nos ataques desta manhã
Vários edifícios residenciais e infraestruturas foram atingidas nos ataques desta manhã Direitos de autor Efrem Lukatsky/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Efrem Lukatsky/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Rússia lançou novo ataque em áreas residenciais em Kostiantynivka, na região de Donetsk. Kremlin acusa Ocidente de "irresponsabilidade", após secretário da Defesa norte-americano afirmar que NATO será forçada a entrar na guerra caso Ucrânia saia derrotada.

PUBLICIDADE

O exército russo disparou quatro mísseis em Kostiantynivka na região de Donetsk. Não há feridos a registar mas vários edifícios residenciais e infraestruturas foram atingidas.

Vitaliy vive no mesmo prédio há mais de 70 anos. As paredes e o teto de seu apartamento foram danificados, sendo-lhe impossível ficar a viver no apartamento por causa do frio.

"Conseguem imaginar, todos estes buracos? Está tudo destruído", lamenta o ucraniano.

À medida que prossegue a guerra, a troca acesa de palavras entre Moscovo e o Ocidente continua. 

Na quinta-feira, o secretário da Defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin disse que a NATO será forçada a entrar na guerra com a Rússia se a Ucrânia perder.

"Sabemos que se Putin for bem-sucedido [na Ucrânia], não vai parar. Continuará a tomar ações mais agressivas na região. E outros líderes do mundo, outros autocratas, vão olhar para isso e serão encorajados", referiu.

Em resposta, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, considerou esta sexta-feira que as declarações do secretário da Defesa norte-americano foram "extremamente irresponsáveis" e podem conduzir "a uma escalada das tensões".

O presidente russo, Vladimir Putin, também esteve esta sexta-feira reunido com o conselho de segurança da Rússia para discutir a neutralização de ameaças aéreas que o país pode enfrentar, reiterando que Moscovo não tem intenção de posicionar armas nucleares no espaço.

"Já discutimos as falsidades que algumas figuras no Ocidente têm dito sobre os nossos supostos planos para posicionar armas nucleares no espaço. Digo 'supostos' porque, como já disse e como bem sabemos, não temos tais planos", assegurou o presidente russo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Não vamos esquecer". Milhares de pessoas no funeral de Navalny em Moscovo

Alemanha vai colocar 5.000 soldados na Lituânia

Ucrânia abate três bombardeiros russos