NATO inicia exercícios militares para proteger novo território nórdico

NATO inicia exercícios militares para proteger novo território nórdico
NATO inicia exercícios militares para proteger novo território nórdico Direitos de autor Armando Babani/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Mais de 20.000 soldados de 13 países estão a participar nos exercícios da NATO, que decorrem na Finlândia, na Suécia e na Noruega.

PUBLICIDADE

A NATO iniciou, esta segunda-feira, novos exercícios militares, com o intuito de defender o seu recém-alargado território, que inclui agora a Suécia.

Mais de 20.000 soldados de 13 países estão a participar nos exercícios da Resposta Nórdica da Nato, que vão durar quase duas semanas, e que vão decorrer na Finlândia, na Suécia e na Noruega. Esta é a primeira operação da Finlândia como Estado-membro da Aliança Atlântica.

Entre os outros países que vão integrar os exercícios, até 15 de março, estão a Bélgica, Reino Unido, Canadá, Dinamarca, França, Alemanha, Itália, Países Baixos, Noruega, Espanha, Suécia e Estados Unidos.

Os soldados vão ser treinados para atuar em terra, no mar e no ar. Enquanto cerca de metade dos participantes vão realizar exercícios terrestres, os restantes vão estar a bordo de um dos mais de 50 navios ou de um dos mais de 110 aviões evolvidos nos exercícios. 

No dia 7 de março, o presidente finlândes, Alexander Stubb, e o primeiro-ministro norueguês, Jonas Gahr Store, vão visitar o local dos exercícios no norte da Noruega.

Entretanto, a NATO inaugurou uma base área em Kucova, na Albânia, país que integra a aliança desde 2009. A NATO investiu cerca de 50 milhões de euros na infraestrutura, enquanto o governo albanês investiu 5 milhões de euros.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Suecos divididos sobre adesão à NATO: "Sempre fomos um país neutro"

Submarinos da NATO realizam exercícios de guerra no Mediterrâneo

Hungria pronta para aprovar a adesão da Suécia à NATO