Segundo satélite português já foi enviado para o espaço

Representação artística sem data, fornecida pela NASA, de um satélite Jason-3
Representação artística sem data, fornecida pela NASA, de um satélite Jason-3 Direitos de autor NASA via AP
Direitos de autor NASA via AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O "Aeros MH-1" é um nanossatélite de 4,5 quilos. A missão envolve as universidades do Minho, Porto, Algarve e o Instituto Superior Técnico.

PUBLICIDADE

O AEROS MH-1 foi lançado na noite desta segunda-feira, às 22:05 em Lisboa, 14:05 na Base Espacial de Vandenberg, na Califórnia. É o primeiro satélite português a ser lançado para o Espaço nos últimos trinta anos. O primeiro, o PoSat-1, foi lançado em 1993 e foi, entretanto, desativado. 

O satélite português foi colocado no espaço pelo Falcon 9 da Space X, na missão Transporter 10.

Com um investimento total de 2,78 milhões de euros, dos quais 1,88 milhões resultam de financiamento público, o AEROS entra na categoria dos nanossatélites (30cmx10cm e 4,5 kg) e tem como missão estudar os oceanos.

Desenvolvido em Portugal, através de um projeto que teve início em 2020 com a cooperação do norte-americano MIT (Massachusetts Institute of Technology), o AEROS MH-1 orbitará a uma altitude de 510 km, sendo capaz de dar uma volta à Terra a cada 90 minutos. A designação "MH-1" foi acrescentada ao nome numa homenagem a Manuel Heitor, ex-ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior que, enquanto esteve em funções, foi um dos grandes impulsionadores do projeto, de acordo com o consórcio nacional que construiu e opera o satélite.

O centro de comando ficará localizado no Teleporto da ilha de Santa Maria, nos Açores, onde serão registadas as imagens captadas pelo satélite, que depois serão tratadas em Matosinhos no CEiiA, Centro de Engenharia e Desenvolvimento.

Segundo o a Agência Espacial Portuguesa, os responsáveis pelo projeto sublinham que este lançamento representa o regresso de Portugal ao Espaço e coloca o país, de forma significativa, no mapa da exploração espacial global e do avanço científico.

Até ao final do ano, será lançado o ISTSat-1, outro satélite desenvolvido em Portugal que estará no voo inaugural do novo foguetão da Agência Espacial Europeia, o Arianne 6.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Irão coloca em órbita três satélites em simultâneo

SpaceX põe no espaço o satélite mais potente de sempre

Rússia lança para órbita primeiro satélite para fornecer internet de banda larga