Nikki Haley retira-se da corrida presidencial dos EUA

Nikki Haley
Nikki Haley Direitos de autor AP Photo/David J. Phillip
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Nikki Haley suspendeu a sua campanha presidencial, depois de ter sido derrotada em todo o país na Super Terça-feira, deixando Donald Trump como o último grande candidato à nomeação republicana para 2024.

PUBLICIDADE

Nikki Haley anunciou que vai desistir das primárias republicanas depois do fracasso na "Super Terça", que distribuiu mais de um terço dos delegados que vão eleger o candidato republicano às eleições de 5 de novembro.

Num discurso em Charleston, Carolina do Sul, Haley não endossou o ex-presidente em. Em vez disso, encorajou-o a ganhar o apoio dos republicanos moderados e eleitores independentes que a apoiaram.

"Agora cabe a Donald Trump ganhar os votos daqueles que, no nosso partido e fora dele, não o apoiaram. E eu espero que ele faça isso", disse. "No seu melhor, a política consiste em trazer as pessoas para a nossa causa, não em afastá-las. E a nossa causa conservadora precisa muito de mais pessoas".

Em 15 estados, Nikki Haley, ex-governadora da Carolina do Sul, ganhou apenas um, o Vermont, que se junta ao triunfo de domingo na capital Washington DC. Foi a primeira rival significativa de Trump quando entrou na corrida em fevereiro de 2023.

Há várias semanas que tem sofrido pressões do próprio partido para abandonar a corrida. Desta vez, alguns republicanos temiam mesmo que uma campanha pós-"Super Terça" fosse criar mais divisões dentro do partido e dar força ao esforço de reeleição de Biden.

A corrida entre Trump, de 77 anos, e Biden, de 81 anos, será a segunda repetição em presidenciais norte-americanas desde 1956 - entre o republicano Dwight D. Eisenhower e Adlai Stevenson II.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Trump e Biden dominam "Super Terça-Feira", Nikki Haley venceu no Vermont