Histórias para esquecer a guerra

Aplicação "Magic Mitten"
Aplicação "Magic Mitten" Direitos de autor Maturana-Moreno, Jesus-Antonio/
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A aplicação móvel ajuda crianças a lidar com o conflito na Ucrânia.

PUBLICIDADE

Como todos os conflitos armados, a guerra na Ucrânia deixou uma marca nos mais novos. Um mês após o início, obrigou à deslocação forçada de mais de 4,3 milhões de crianças- mais de metade da população infantil da Ucrânia.

No início do conflito, a correspondente de guerra e escritora húngara Hesna Al Ghaoui vivia nos Estados Unidos com a família. De imediato quis ajudar as crianças afetadas, mesmo à distância, proporcionando-lhes uma história que as ensinasse a ultrapassar os seus medos.

Foram precisos dois anos para transformar a ideia em realidade, com a ajuda do psicólogo norueguês, Solfrid Raknes. A aplicação móvel está agora disponível em ucraniano e inglês.

"Todo o projeto de desenvolvimento foi muito emocionante, e muito mais complicado e longo do que pensávamos, porque não é fácil transformar uma coisa analógica numa ferramenta digital, um brinquedo que pode ser jogado, não demasiado complicado, que pode sobreviver em dispositivos mais antigos e que pode realmente atrair as crianças. Mesmo numa situação de despertar traumático tão difícil", explica  Hesna Al Ghaoui

A aplicação "Magic Mitten" baseia-se numa fábula ucraniana sobre os habitantes dos dedos de um meio par de luvas perdido. Pode ser escutada durante sete dias. Cada parte da história é acompanhada de exercícios para aliviar o stress, aumentar a consciência emocional e melhorar o relaxamento.

Os criadores planeiam produzir versões também em árabe e norueguês.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Instituto para o Estudo da Guerra: Crianças ucranianas continuam a ser levadas para a Rússia

Cerca de 500 crianças mortas desde o início da guerra na Ucrânia

ONU acusa Rússia de matar 136 crianças ucranianas em 2022