Presidente dos EUA ataca Putin e Trump no discurso do Estado da União

Presidente dos EUA ataca Putin e Trump no discurso do Estado da União
Presidente dos EUA ataca Putin e Trump no discurso do Estado da União Direitos de autor Andrew Harnik/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Joe Biden prometeu, ainda, restaurar o direito ao aborto e exigiu um cessar-fogo imediato em Gaza.

PUBLICIDADE

O discurso do Estado da União de Joe Biden desta sexta-feira, o último do seu mandato enquanto presidente dos Estados Unidos, ficou marcado por fortes ataques a Vladimir Putin e a Donald Trump.

Joe Biden comparou os dias de hoje com o período anterior à Segunda Guerra Mundial, quando Adolf Hitler marchava na Europa, e acusou o presidente da Rússia de querer conquistar mais terreno europeu.

O presidente dos EUA alertou para o facto dos republicanos querem cortar o apoio à Ucrânia, que Putin “não vai parar”.

"A Ucrânia pode travar Putin se estivermos ao seu lado e lhe fornecermos as armas de que necessita para se defender", apelou Biden, citado pelas agências internacionais.

Após os ataques ao presidente russo, Joe Biden criticou, várias vezes, Donald Trump, através da expressão “o meu antecessor” e acusou-o de “fazer uma vénia a um líder russo, ultrajante, perigoso e inaceitável”.

"Agora o meu antecessor, um antigo presidente republicano, disse a Putin, e cito, 'faz o que raio quiseres'. Isto é uma citação. Um antigo presidente disse mesmo isto, curvando-se perante um líder russo. Acho que é ultrajante, perigoso e inaceitável", afirmou Biden, citado pelas agências internacionais. 

Com juízes do Supremo Tribunal sentados na plateia, Joe Biden prometeu restaurar o direito ao aborto “como lei do país novamente”, se os cidadãos norte-americanos lhes “enviarem um Congresso que apoie o direito de ecolha”.

O presidente dos EUA, de 81 anos, abordou ainda a questão da idade, durante o seu discurso, que tem causado uma "enorme" desconfiança a uma parte significativa do eleitorado, segundo as agências internacionais. "A questão que a nossa nação enfrenta não é a nossa idade, mas a idade das nossas ideias", defendeu o presidente norte-americano, citado pelas agências internacionais. 

Biden quer cessar-fogo imediato em Gaza

Relativamente à guerra entre Israel e o Hamas, Biden utilizou o seu discurso para exigir a Israel que não utilize a ajuda humanitária a Gaza como “moeda de troca”, e que permita a entrada de alimentos e medicamentos no enclave.

Joe Biden referiu estar a trabalhar “sem descanso” para um cessar-fogo imediato e temporário em Gaza, e anunciou que os militares norte-americanos vão estabelecer um porto na costa da Faixa de Gaza para receberem grandes remessas de alimentos e materiais médicos.

O discurso do Chefe de Estado norte-americano, que se revela ainda mais crucial em ano de eleições presidenciais no país, demorou cerca de uma hora e cinco minutos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Biden confirma que Estados Unidos vão construir porto para enviar ajuda a Gaza por via marítima

Joe Biden promete retaliar após ataque que matou três soldados norte-americanos na Jordânia

Joe Biden vai reunir-se com Xi Jinping em São Francisco