AD vence eleições segundo projeção da Universidade Católica

Luís Montenegro, líder do PSD e da AD
Luís Montenegro, líder do PSD e da AD Direitos de autor Luis Vieira/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Coligação PSD/CDS/PPM é a vencedora das legislativas portuguesas, segundo a projeção à boca das urnas da Universidade Católica para a RTP, com o PS em segundo e o Chega em terceiro.

PUBLICIDADE

A AD, constituída pelo PSD, pelo CDS-PP e pelo PPM, é a vencedora das eleições legislativas, embora com maioria relativa. Segundo a projeção à boca das urnas da Universidade Católica para a RTP, a coligação liderada por Luís Montenegro venceu com entre 29% e 33%, sendo a margem mínima igual à margem máxima do PS.

O Partido Socialista, até agora no governo, terá ficado em segundo lugar com entre 25% e 29%. No terceiro posto, confirma-se a forte subida do Chega, a formação de direita populista liderada por André Ventura, que terá conseguido entre 14% e 17%, mais do dobro do conseguido nas eleições de 2022.

A projeção coloca a Iniciativa Liberal no quarto posto, com entre 5% e 7%. A formação de Rui Rocha perfila-se como possível parceira num governo liderado pela AD, embora as duas formações juntas não consigam formar uma maioria.

Seguem-se o Bloco de Esquerda, com entre 4% e 6% e o Livre com entre 3% e 5%, conseguindo assim a formação de Rui Tavares multiplicar o número de deputados, sendo até agora uma formação de deputado único. O Livre consegue ainda a proeza de relegar a CDU (PCP/Verdes) para o sétimo posto, com entre 2% e 4% 

O PAN terá ficado com entre 1,5% e 2,5%, podendo eleger um segundo deputado além de Inês de Sousa Real.

Partilhe esta notíciaComentários