Greta Thunberg e outros ativistas climáticos bloqueiam entrada do Parlamento sueco

Greta Thunberg e outros ativistas climáticos bloqueiam entrada do Parlamento sueco
Greta Thunberg e outros ativistas climáticos bloqueiam entrada do Parlamento sueco Direitos de autor Christine Olsson/TT/Christine Olsson
Direitos de autor Christine Olsson/TT/Christine Olsson
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Greta Thunberg defende que “o movimento pela justiça climática” tem vindo, há décadas, a repetir a mesma mensagem” e que os ativistas climáticos “não estão a ser ouvidos”.

PUBLICIDADE

Um grupo de ativistas climáticos, incluindo Greta Thunberg, bloquearam a entrada do Parlamento sueco, esta segunda-feira, para protestar a favor de reformas abrangentes para enfrentar os desastres climáticos.

"O movimento pela justiça climática tem vindo, há décadas, a repetir a mesma mensagem (...) e sentimos que não estamos a ser ouvidos. Continuamos a avançar na direção errada”, disse Thunberg, citada pelas agências internacionais.

Também o ativista climático Andrei Tertienko afirmou que as alterações climáticas “ainda não são tratadas como uma crise”.

"Estamos aqui a protestar porque as alterações climáticas ainda não são tratadas como uma crise (...). O movimento pela justiça climática tem vindo a exigir mudança há décadas, e não temos nenhuma”, contestou Tertienko, citado pelas agências internacionais.

A sueca Greta Thunberg tornou-se no rosto dos jovens ativistas climáticos, devido aos seus protestos semanais em frente ao Parlamento sueco, iniciados em 2018. Estes protestos tornaram-se rapidamente num movimento global de jovens, que têm vindo a manifestar-se por todo o continente.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Greta Thunberg junta-se a protesto contra construção de nova autoestrada em França

Greta Thunberg retoma protestos após detenção

"Não vou desistir": Greta Thunberg enfrenta novo julgamento por protesto na Suécia