Primeiro clube de futebol da Ucrânia para veteranos com amputações

Clube de futebol da Ucrânia para veteranos amputados
Clube de futebol da Ucrânia para veteranos amputados Direitos de autor Ces vétérans amputés s’étaient présentés volontairement dans les circonscriptions militaires
De  Giorgia Orlandi
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os jogadores esperam que o desporto se torne cada vez mais popular no país, encorajando outros antigos soldados a seguir o exemplo.

PUBLICIDADE

Para a maioria dos que se juntaram ao primeiro clube de futebol da Ucrânia para veteranos amputados, o jogo tornou-se uma terapia. Depois de sofrerem os piores ferimentos nas batalhas mais ferozes da linha da frente, encontraram uma forma de aliviar a dor. Não apenas física, mas também emocional. 

"Sentimos várias emoções. Para mim, o futebol sempre foi uma espécie de terapia onde posso relaxar, regenerar a minha mente e simplesmente esquecer tudo, apenas jogando - concentrando-me naquilo que adoro", disse à Euronews Valentin Osovskyy, um dos jogadores. 

 O teinador da equipa destaca o "lado humano" do seu trabalho. "É melhor para mim trabalhar com jogadores amputados porque estou a dar apoio físico através do treino, mas também psicológico", explicouBohdan Melnyk.

Os jogadores estão determinados a ganhar. Tiveram a oportunidade de mostrar o seu valor, recentemente, na primeira participação no campeonato da Polónia. O campo oferece-lhes uma segunda oportunidade.

"O facto de termos jogado pela primeira vez numa liga na Polónia, para nós, talvez tenha sido uma espécie de vingança, para mostrar que o espírito ucraniano é inquebrável e que queremos mostrar que somos fortes e que continuamos a lutar", afirmou Valentin.

A equipa espera que o desporto se torne cada vez mais popular no país, encorajando outros antigos soldados a seguir o exemplo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ataques em Zaporíjia: "Estamos perigosamente perto de um acidente nuclear"

Ucrânia roda batalhões e condecora soldados em Kiev

Como a ucraniana Valeriia, de 17 anos, escapou a um campo de reeducação russo