EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Aliado de Navalny atacado com um martelo na Lituânia

Leonid Volkov
Leonid Volkov Direitos de autor Salvatore Di Nolfi/' KEYSTONE / SALVATORE DI NOLFI
Direitos de autor Salvatore Di Nolfi/' KEYSTONE / SALVATORE DI NOLFI
De  Euronews com AP
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Leonid Volkov disse que se tratou de "uma típica e característica saudação do gangster de São Petersburgo".

PUBLICIDADE

Colaboradores de Alexei Navalny disseram que Leonid Volkov, o principal estratega do antigo opositor de Putin, foi atacado perto da sua casa, na capital da Lituânia.

Kira Yarmysh, que foi porta-voz de Navalny, revelou que o agressor partiu uma janela do carro de Volkov, lançou-lhe gás lacrimogéneo para os olhos e começou a bater-lhe com um martelo. Volkov foi mais tarde levado para um hospital.

"Ainda não estou pronto para fazer comentários, para além de isto ser uma típica e característica saudação de gangster de Putin, do gangster de São Petersburgo”, disse Volkov numa mensagem vídeo difundida pela equipa de Navalny.

O ataque aconteceu em Vílnius quase um mês após a morte inexplicável de Navalny numa colónia penal do Ártico. O mais feroz crítico do Presidente Vladimir Putin estava a cumprir uma pena de prisão de 19 anos sob a acusação de extremismo.

Volkov era responsável pelos escritórios regionais e pelas campanhas eleitorais de Navalny. No ano passado, lançou um projeto chamado "Máquina de campanha de Navalny", com o objetivo de falar com o maior número possível de russos, por telefone ou online, antes das eleições presidenciais de 15 a 17 de março.

Pouco antes da sua morte, Navalny apelou aos seus apoiantes para irem às urnas ao meio-dia de domingo, o último dia de votação, para demonstrarem o seu descontentamento com o Kremlin. Os seus aliados têm promovido ativamente a estratégia, apelidada de "Meio-dia contra Putin", nas últimas semanas.

A agência noticiosa independente russa Meduza disse que entrevistou Volkov antes do ataque e perguntou-lhe sobre os riscos para a equipa de Navalny. "O principal risco é que todos nós seremos mortos", disse Volkov.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Detidos na Polónia dois suspeitos de ataque a aliado de Navalny na Lituânia

Apoiantes de Navalny prestam homeagem ao antigo líder de oposição, 40 dias após a sua morte

Tribunal russo ordena prisão da viúva de Alexei Navalny