Putin vence as eleições presidenciais da Rússia com quase 88% dos votos

Putin vence as eleições presidenciais da Rússia com quase 88% dos votos
Putin vence as eleições presidenciais da Rússia com quase 88% dos votos Direitos de autor AP/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A margem de vitória de Vladimir Putin foi a mais elevada de sempre. O último dia de votação ficou marcado por manifestações contra Putin nas assembleias de voto e ataques de drones ucranianos.

PUBLICIDADE

O Presidente Vladimir Putin foi reeleito para um quinto mandato, este domingo, com quase 88% dos votos, com 25% destes contados, segundo uma sondagem à boca das urnas do Centro de Pesquisa de Opinião Pública da Rússia, divulgada pelas agências internacionais.

A margem de vitória do presidente foi a mais elevada de sempre, tendo este superado os 76,7% dos votos alcançados nas eleições de 2018.

O último dia de votação ficou marcado por uma manifestação convocada por manifestantes russos, que protestaram contra Putin nas assembleias de voto. Para além disto, este domingo, a Rússia assistiu a um ataque maciço de drones ucranianos, de longo alcance, que foram lançados, segundo as agências internacionais, nas primeiras horas da manhã de sábado.

Nos territórios ocupados da Ucrânia, oficiais russos, acompanhados por soldados, terão feito campanha porta-a-porta para incitar a população a votar.

A eleição de Vladimir Putin deverá mantê-lo no poder até 2030, altura em que completa 77 anos. Uma alteração constitucional, feita em 2020, possibilita, ainda, um mandato adicional até 2036.

O candidato comunista Nikolai Kharitonov ficou em segundo lugar com pouco menos de 4%, enquanto Vladislav Davankov ocupou o terceiro lugar e o ultranacionalista Leonid Slutsky o quarto, de acordo as sondagens.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Crianças ucranianas enfrentam traumas devido ao conflito com a Rússia

Opositores de Putin votaram em grupo ao meio-dia provocando longas filas

Gerações e famílias russas dividem-se no apoio a Vladimir Putin