Polícia teve 90 segundos para parar o tráfego na maior ponte de Baltimore, antes do embate

Polícia teve 90 segundos para parar o tráfego na maior ponte de Baltimore, antes do embate
Polícia teve 90 segundos para parar o tráfego na maior ponte de Baltimore, antes do embate Direitos de autor Steve Helber/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Steve Helber/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Tudo indica que os seis trabalhadores desaparecidos estejam mortos, mas autoridades continuam as buscas. Joe Biden reuniu-se com altos funcionários, esta quarta-feira, para dar resposta ao colapso da ponte em Baltimore.

PUBLICIDADE

A polícia norte-americana teve 90 segundos para parar o trânsito na ponte Francis Scott Key, em Baltimore, após ter sido alertada pela tripulação para uma falha de energia. O alerta foi dado perto da 1h30 da manhã de terça-feira.

“Um de vós da zona sul, um de vós da zona norte: parem o trânsito na ponte Francis Scott Key. Aproxima-se um navio que acabou de perder a direção, estão a tentar controlá-lo. Temos de parar todo o tráfego", pode ouvir-se no aúdio da polícia, pouco antes do embate, divulgado pelas agências internacionais.

Tudo indica que os seis trabalhadores desaparecidos estejam mortos, mas autoridades continuam as buscas par dar respostas à famílias. De acordo com as autoridades, não há evidências de que tenham caído à água mais de 20 pessoas.

"Neste momento, não sabemos onde estão [os trabalhadores desaparecidos], mas tencionamos fazer o nosso melhor para ajudar estas famílias a encontrar uma solução", disse Roland L. Butler, coronel da polícia de Maryland, citado pelas agências internacionais.

Os especialistas estimam que o encerramento da maior ponte de Baltimore, que colapsou após o embate do navio de carga, possa custar até 13,86 milhões de euros por dia. Também o governador de Maryland, Wes Moor, informou que a queda da ponte Francis Scott Key tem um “enorme impacto a nível económico para o país”.

“É por isso que penso que quando vimos como o país inteiro se uniu em torno de Maryland, e se uniu em torno de Baltimore, é porque eles entendem que o porto de Baltimore não está apenas a ter impacto em Maryland. Este porto é responsável por mais de 51 milhões de toneladas de carga estrangeira. É o maior do país", explicou Moor, citado pelas agências internacionais.

Joe Biden reúne-se para discutir resposta ao colapso em Baltimore

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, reuniu-se, entretanto, com altos funcionários na Casa Braca, esta quarta-feira, para discutir a resposta federal, estatal e local ao colapso da maior ponte de Baltimore. Biden falou também com o governador de Maryland e reiterou o apoio da sua administração à população, de acordo com as agências internacionais.

O navio de carga, também conhecido por Dali, tinha cerca de 300 metros de comprimento, e dirigia-se de Baltimore para Colombo, no Sri Lanka.

Em junho do ano passado foi identificado um problema com “a propulsão e maquinaria auxiliar” do navio, segundo as agências internacionais mas uma inspeção feita recentemente não identificou quaisquer evidências.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

O momento do colapso da ponte de Baltimore

Seis trabalhadores desaparecidos em colapso de ponte nos EUA dados como mortos

Ponte de Baltimore colapsa após embate de navio de carga