França quer usar influência da China sobre a Rússia

Stéphane Séjourné com Wang Yi
Stéphane Séjourné com Wang Yi Direitos de autor Ken Ishii/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Na visita a Pequim, o chefe da diplomacia francesa tentou convencer Pequim a usar a sua influência para fazer a Rússia recuar na Ucrânia.

PUBLICIDADE

França quer que a China use a influência junto da Rússia para pôr fim à guerra na Ucrânia. O ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Stéphane Séjourné, encontrou-se com o homólogo chinês Wang Yi em Pequim para conversações sobre questões como a Ucrânia e o comércio. A China tem procurado ser neutra em relação à guerra; embora não aprove abertamente as ações do Kremlin, tem impulsionado as relações com Moscovo desde a invasão em larga escala.

Paris quer que a China adote uma posição mais dura: "Não é apenas uma questão de estratégia que será levantada, mas sim de como podemos garantir que a paz seja alcançada na Ucrânia e, possivelmente, que a Rússia retire as suas tropas. Temos de enviar uma mensagem muito clara à Rússia. Também esperamos que um país importante como a China envie mensagens muito claras", disse Séjourné.

Esperamos que um país importante como a China envie mensagens muito claras (à Rússia).
Stéphane Séjourné
Ministro dos Negócios Estrangeiros de França

França está também preocupada com o aumento das exportações de veículos elétricos chineses para os mercados europeus. Embora a UE considere que os subsídios governamentais dão aos fabricantes de automóveis chineses uma vantagem injusta, continua a querer manter laços comerciais lucrativos com a potência asiática.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

China terá obtido dados de dezenas de milhões de eleitores britânicos

Rússia e China vetam resolução dos EUA que pedia cessar-fogo imediato em Gaza

China volta a tentar mediar negociações de paz entre Rússia e Ucrânia