EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Irão ataca Israel com mais de 200 mísseis e drones

Ataque com mísseis e drones do Irão
Ataque com mísseis e drones do Irão Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Alerta máximo na região. O exército israelita diz ter intercetado centenas de drones e mísseis lançados de Teerão na madrugada de domingo. No sul do país, uma base israelita foi danificada.

PUBLICIDADE

O Irão lançou um ataque aéreo maciço contra Israel na madrugada de domingo. As Forças de Defesa Israelita (IDF) contaram "mais de 200" alvos, incluindo drones kamikazes (os mesmos utilizados pela Rússia na Ucrânia), mísseis de cruzeiro e, possivelmente, mísseis balísticos.

Grande parte dos mísseis e drones que sobrevoaram os céus do Iraque, Síria, Jordânia, Cisjordânia e Israel foram intercetados pelas forças israelitas, americanas e jordanianas. Citando "fontes não identificadas", a imprensa local alegou que "99%" dos alvos foram abatidos. As IDF utilizaram o termo "grande maioria".

É o primeiro ataque direto do território iraniano contra Israel - apesar de décadas de inimizade após 1979. Israel, aliás, atacou solo iraniano em anos anteriores. Autoridades iranianas chamaram o ataque de retaliação pelo ataque de 1 de abril contra o complexo diplomático iraniano em Damasco, que tirou a vida de vários oficiais iranianos.

Milhares de pessoas celebraram o ataque a Israel nas ruas de Teerão enquanto muitos formaram longas filas em postos de gasolina para fazer reservas em antecipação ao desenvolvimento dos eventos.

O ataque estava previsto há vários dias. Apenas algumas horas antes, Israel decidiu fechar as escolas para o domingo (um dia útil no país). Logo após o início do ataque, o espaço aéreo israelita foi fechado ao tráfego civil. Dirigindo-se à nação, o primeiro-ministro Netanyahu expressou esperança no apoio dos EUA, Reino Unido, França e outros países.

Os EUA responderam imediatamente alertando todas as suas forças na região. Joe Biden interrompeu umas pequenas férias e regressou de imediato a Washington para se encontrar com os seus conselheiros de segurança, prometendo apoio "sólido" para Israel contra os ataques do Irão.

O Reino Unido e a França condenaram fortemente o ataque, chamando-o de "imprudente" e uma "ameaça à estabilidade regional".

O secretário-geral da ONU também condenou os ataques: "Estou profundamente alarmado com o perigo muito real de uma escalada devastadora em toda a região", escreveu António Guterres. "Tenho enfatizado repetidamente que nem a região nem o mundo podem suportar outra guerra."

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Navio capturado pelo Irão tem bandeira portuguesa. Portugal "aciona" diplomacia em Teerão

Sirenes soam em Telavive pela primeira vez em meses, depois do Hamas ter disparado rockets

Ministro israelita das Comunicações ordena a devolução do equipamento de vídeo apreendido à AP