EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Polónia investe 2,2 mil milhões de euros no reforço da sua fronteira com a Rússia

Donald Tusk em Cracóvia
Donald Tusk em Cracóvia Direitos de autor POLISH PRIME MINISTER'S OFFICE HANDOUT
Direitos de autor POLISH PRIME MINISTER'S OFFICE HANDOUT
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O primeiro-ministro polaco, Donald Tusk, anunciou o investimento de 2,2 mil milhões de euros para reforçar a fronteira com a Rússia e a Bielorrússia.

PUBLICIDADE

A Polónia vai investir cerca de 2,2 mil milhões de euros para aumentar a segurança e a dissuasão ao longo da sua fronteira com a Rússia e a Bielorrússia, anunciou no sábado o primeiro-ministro Donald Tusk, em Cracóvia.

"A Polónia está a investir cerca de 2,5 mil milhões de dólares (2,2 mil milhões de euros) para aumentar a segurança e a dissuasão ao longo da sua fronteira com a Rússia e a Bielorrússia", disse Donald Tusk.

O chefe do governo polaco revelou que o projeto Shield-East, que inclui a construção de fortificações militares, já começou. Salientando a posição estratégica da Polónia no flanco oriental da NATO e da União Europeia, Tusk destacou a responsabilidade do país pela segurança da Europa.

“Tomámos a decisão de investir na nossa segurança e, em primeiro lugar, numa fronteira oriental segura, cerca de 10 mil milhões de zlotys (2,2 mil milhões de euros)”, afirmou.

Tusk explicou que o projeto implica a construção de uma fronteira fortificada e ambientalmente modificada para garantir a sua impenetrabilidade por potenciais inimigos.

“Iniciámos estes trabalhos para tornar a fronteira da Polónia segura em tempos de paz e impenetrável para o inimigo em tempos de guerra”, acrescentou.

Arquivo. Fronteira entre a Polónia e a Rússia.
Arquivo. Fronteira entre a Polónia e a Rússia.AP Photo

Falando às tropas polacas em Cracóvia, onde assinalou o 80.º aniversário da vitória dos Aliados na Batalha de Monte Cassino, durante a Segunda Guerra Mundial, Tusk declarou que a Polónia é um país seguro e impenetrável para o inimigo em tempo de guerra.

O anterior governo de direita da Polónia construiu um muro de 367 milhões de euros ao longo da fronteira com a Bielorrússia para travar o afluxo maciço de migrantes em 2021. 

O atual governo pró-UE considera agora que é também necessário um maior reforço na segurança. A Polónia continua a ser um forte aliado da Ucrânia na sua defesa contra a invasão da Rússia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

UE conclui reforma das regras de migração, apesar de Polónia e Hungria terem votado contra

Polónia quer estar pronta caso haja um ataque da Rússia e pede à UE para dar mais armas à Ucrânia

Bruxelas vai encerrar processo por violação do Estado de direito aberto à Polónia