EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Comércio externo da China caíu em agosto

Comércio externo da China caíu em agosto
Direitos de autor 
De  Nelson Pereira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O comércio externo da China registrou nova baixa em agosto, de acordo com dados revelados esta terça-feira pelo governo, com a queda nas exportações

PUBLICIDADE

O comércio externo da China registrou nova baixa em agosto, de acordo com dados revelados esta terça-feira pelo governo, com a queda nas exportações e importações a refletir a desaceleração da segunda maior economia mundial.

As exportações da China caíram 5,5% em agosto, na comparação com o mesmo período de 2014, acima da previsão dos analistas de um recuo de 5,2%, enquanto as importações caíram de 13,8% no ano, muito acima da estimativa de recuo de 7,9%.

Caíram também as importações junto dos maiores parceiros comerciais da China – União Europeia, Japão e Estados Unidos. Este foi foi o sexto mês em que as importações chinesas recuaram mais de 10%, este ano.

Segundo o analista Haigin Zhu, do JP Morgan, esta tendência manter-se-á e a meta de 6% que Pequim previa para o crescimento do comércio, “não pode ser alcançada”.

O PIB chinês registou um crescimento de 7,3% em 2014, atingindo o seu nível mínimo em 25 anos, e caiu a 7% nos dois primeiros trimestres deste ano.

As autoridades chinesas desvalorizaram o yuan em agosto, mas esta medida não teve, aparentemente, grande efeito sobre o crescimento das exportações.

Alguns economistas acreditam que o impacto da desvalorização só se fará notar na fatura externa da China num prazo de três a seis meses, pois os contratos atuais foram assinados com taxas de câmbio anteriores a esta medida.

O governo procura equilibrar a economia através do incentivo ao consumo, em detrimento dos investimentos em infraestruturas, dos quais tem dependido igualmente o crescimento do país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Alternativa ao lítio: Pode o manganésio substituir as baterias de lítio dos veículos elétricos?

Banco Central Europeu corta taxas de juro em linha com as expetativas do mercado

Riqueza das nações: o fosso cada vez maior entre ricos e pobres na Europa