EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Europa de olhos postos no braço-de-ferro entre Apple e FBI

Europa de olhos postos no braço-de-ferro entre Apple e FBI
Direitos de autor 
De  Patricia Cardoso com REUTERS
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

As autoridades europeias seguem com atenção o caso que opõe a Apple ao governo dos Estados Unidos. A empresa tecnológica diz-se pronta a ir até ao

PUBLICIDADE

As autoridades europeias seguem com atenção o caso que opõe a Apple ao governo dos Estados Unidos.

A empresa tecnológica diz-se pronta a ir até ao Supremo Tribunal e recusa ajudar a polícia federal norte-americana, o FBI, a desbloquear um iPhone usado por um dos autores do atentado em San Bernardino, em dezembro. No ataque morreram 14 pessoas e 22 ficaram feridas.

A Apple ganhou um caso semelhante, envolvendo o iPhone de um alegado traficante de drogas.

A empresa, liderada por Tim Cook, fala de um ataque à privacidade dos dados e do aparelho e considera que é um precedente perigoso.

What the encryption backdoor means. #AppleVsFBIpic.twitter.com/5zcI3BGKG9

— Astrid (@Astricella) 21 de fevereiro de 2016

A batalha legal pode ter repercussões na União Europeia. Pode pôr em causa o novo acordo sobre a transferência de dados pessoais de cidadãos europeus para os Estados Unidos, designado Escudo de Privacidade UE-EUA.

PRESS RELEASE: Commission publishes #PrivacyShield: restoring trust through
strong safeguards https://t.co/SHFHL3I70Z

— Věra Jourová (@VeraJourova) 29 de fevereiro de 2016

Giovanni Butarelli, da Autoridade Europeia de Proteção de Dados, adianta: “A maioria das pessoas acredita que é essencial a segurança das redes de dados e das infraestruturas. Pode imaginar o que significaria deixar os piratas informáticos mundiais entrar nos nossos aparelhos porque desmantelamos o sistema de segurança que temos hoje? Isso seria um grande erro”.

Reducing security of devices/infrastructures may seriously endanger personal data on a large scale https://t.co/BwEUCCE64U#AppleVsFBI

— Giovanni BUTTARELLI (@Buttarelli_G) 19 February 2016

Em outubro, a justiça europeia invalidou o quadro jurídico que regulou a transferência de dados pessoais para o outro lado do Atlântico durante 15 anos.

O novo acordo político prevê garantias e obrigações por parte das autoridades norte-americanas e um mecanismo de arbitragem para queixas de cidadãos europeus.

What will the new EU-US #PrivacyShield mean in practice? https://t.co/mLz2Y1BM1O

— EU in the US (@EUintheUS) 29 de fevereiro de 2016

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Diretora financeira da Huawei detida no Canadá

Guerra aberta entre Bombardier e Boeing

Ryanair cancela mais voos a partir de novembro