EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Renault quer rever mais de 10 mil unidades do modelo elétrico Zoe com eventual defeito

Renault quer rever mais de 10 mil unidades do modelo elétrico Zoe com eventual defeito
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A Renault pretende fazer regressar à fábrica mais de 10.600 automóveis elétricos do modelo Zoe. A fabricante francesa detetou um problema na

PUBLICIDADE

A Renault pretende fazer regressar à fábrica mais de 10.600 automóveis elétricos do modelo Zoe. A fabricante francesa detetou um problema na mangueira do líquido dos travões e pretende evitar eventuais ruturas do equipamento nos carros já comercializados.

Renault rappelle plus de 10.000 voitures pour défaut de freinage https://t.co/L4uvuBqydy

— Le HuffPost (@LeHuffPost) 24 de março de 2016

< Os automóveis identificados com podendo ter o problema fazem parte do lote produzido entre 2012, ano de lançamento do Zoe, e 6 de outubro de 2014, na fábrica de Flins, perto de Paris, em França.

Um porta-voz da Renault revelou que a fabricante pretende, primeiro, verificar se o problema existe e somente depois, se necessário, substituir as mangueiras afetadas. Até à data não há notícia de quaisquer acidentes originados por este problema.

(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)0; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/pt_PT/sdk.js#xfbml=1&version=v2.3”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));> Con 100.000 veh�culos el�ctricos vendidos en 2015, los europeos somos los primeros en el mercado, seguidos de cerca por…

Publicado por Renault Zoe em�Quinta-feira, 17 de Março de 2016

Some need superpowers, others rely on electricity #RenaultZE#Twizypic.twitter.com/NFWA8uVkVe

— Renault ZE (@RenaultZE) 23 de março de 2016

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Diretora financeira da Huawei detida no Canadá

Guerra aberta entre Bombardier e Boeing

Ryanair cancela mais voos a partir de novembro