EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Brexit: BoE está menos pessimista mas não descarta nova intervenção

Brexit: BoE está menos pessimista mas não descarta nova intervenção
Direitos de autor 
De  Patricia Cardoso com Banco de Inglaterra, Ansa, Lusa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Banco de Inglaterra (BoE) não descarta um novo corte das taxas de juro este ano, mas para já decide esperar.

PUBLICIDADE

O Banco de Inglaterra (BoE) não descarta um novo corte das taxas de juro este ano, mas para já decide esperar.

Na reunião desta quinta-feira, o banco central do Reino Unido manteve as taxas de juro no mínimo histórico de 0,25%. O programa de compra de dívida soberana fica inalterado no montante de 435 mil milhões de libras.

MPC holds #BankRate at 0.25% maintains government bond purchases at £435bn and corporate bond purchases at £10bn pic.twitter.com/G0ENV2Vpid

— Bank of England (@bankofengland) 15 de setembro de 2016

Em agosto, a instituição liderada por Mark Carney avançou com medidas para fazer face ao impacto do Brexit na economia britânica. Agora, o Comité de Política Monetária mostra-se menos pessimista.

Alguns dados económicos têm-se revelado melhores do que o esperado, como se pode ler nas minutas da reunião. A começar pelas vendas a retalho. Em termos mensais, em agosto, as vendas recuaram 0,2%, mas a progressão é de 6,2% em termos anuais. Além disso, no mês passado, a inflação manteve-se estável nos 0,6%, quando os economistas e o banco central esperavam uma subida devido à desvalorização da libra. E a taxa de desemprego continua a ser de 4,9%.

No atual cenário, o banco central subiu as previsões para o terceiro trimestre. O PIB deverá crescer entre 0,2 e 0,3% entre julho e setembro. A previsão anterior apontava para uma progressão de 0,1%.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Alternativa ao lítio: Pode o manganésio substituir as baterias de lítio dos veículos elétricos?

Banco Central Europeu corta taxas de juro em linha com as expetativas do mercado

Riqueza das nações: o fosso cada vez maior entre ricos e pobres na Europa