EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Brexit: City poderá perder milhares de empregos

Brexit: City poderá perder milhares de empregos
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Qual será o futuro da City após a saída do Reino Unido da União Europeia?

PUBLICIDADE

Qual será o futuro da City após a saída do Reino Unido da União Europeia? A questão faz parte do debate sobre o Brexit.

Em Londres, um milhão de pessoas trabalha nos importantes setores bancário e financeiro, ou seja, um em cada 14 empregos.

O presidente da Câmara de Londres, Sadiq Khan, estima que o Brexit poderá ser uma “catástrofe” para a cidade em termos financeiros e de emprego.

Jeremy Browne, representante especial da City na União Europeia, adianta: “Muitas pessoas trabalham no bairro financeiro de Londres. Isso gera muitas receitas fiscais para o governo britânico, por isso, é benéfico para economia britânica e para a economia europeia, em geral”.

Para manterem acesso ao mercado único após o Brexit, algumas instituições financeiras já anunciaram a transferência de atividades para outros países da UE.

Banks will move some operations to Continent soon – Barclays https://t.co/qX3CCm5Ncq via ReutersUK</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/barclays?src=hash">#barclays</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/banks?src=hash">#banks</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/brexit?src=hash">#brexit</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/location?src=hash">#location</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/city?src=hash">#city</a></p>&mdash; Financial World (_FinancialWorld) 27 de abril de 2017

Mas Londres deverá manter mesmo assim um papel importante, segundo J.P. Leschly Neergaard, chefe da divisão internacional do Danske Bank: “Londres é um centro financeiro, não só para a Europa e para a União Europeia, mas para todo o mundo. Londres salvaguarda muitos dos interesses financeiros da Europa e faz isso há anos”.

Por exemplo, o banco Standard Chartered vai instalar a sede europeia em Frankfurt e o HSBC escolheu Paris. O Lloyds Group, o maior banco de retalho do Reino Unido, poderá fixar as atividades europeias em Berlim.

O Instituto Bruegel estima que a City poderá perder até 30 mil empregos, com o Brexit.

Mas há quem diga que podem ser muitos mais empregos:

83,000 job losses from the #City if clearing houses move out because of #Brexithttps://t.co/xZAJuy5dAP

— Frances Haigh (@Frances_Haigh) 1 de maio de 2017

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Alternativa ao lítio: Pode o manganésio substituir as baterias de lítio dos veículos elétricos?

Banco Central Europeu corta taxas de juro em linha com as expetativas do mercado

Riqueza das nações: o fosso cada vez maior entre ricos e pobres na Europa