EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Inflação egípcia nos 31,5%

Inflação egípcia nos 31,5%
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os bens essenciais são os mais atingidos por esta inflação, em particular a comida.

PUBLICIDADE

A inflação no Egito atingiu o nível máximo dos últimos 30 anos e está agora nos 31,5%. Só em abril, a subida anual dos preços cresceu seis décimos de ponto percentual em relação ao valor do mês anterior. A economia egípcia, muito dependente das importações, está a sofrer com a inflação desde que o Banco Central decidiu introduzir taxas de câmbio flutuantes para a moeda nacional.

Para Gamal, agricultor, o dinheiro começa a faltar para alguns produtos básicos: “Só comemos favas e falafel. Mesmo isso é caro. Antes, por uma libra egípcia, comprávamos favas suficientes para o meu pequeno-almoço e da família. Agora custa-nos duas ou três libras, mais cinco libras de falafel.

Os bens essenciais são os mais atingidos por esta inflação, em particular a comida. Em abril, a subida nos preços da alimentação, em relação ao mesmo mês do ano anterior, foi de 43,6%. Já a inflação subjacente, que exclui a alimentação e a energia, desceu ligeiramente entre março e abril.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

O sentimento económico da Alemanha desce mais do que o esperado: A recuperação está em risco?

A reeleição de Trump poderá afetar a economia europeia em 150 mil milhões de euros

Portugal celebra as feras e os heróis míticos com uma moeda de Ulisses