EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

HSBC com cortes de pessoal em perspetiva

HSBC com cortes de  pessoal em perspetiva
Direitos de autor 
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O banco britânico HSBC está a preparar uma redução de pessoal quepode chegar aos 10 mil trabalhadores. A direção não teceu comentários à notícia do Financial Times.

PUBLICIDADE

O banco britânico HSBC quer reduzir os custos com o pessoal. De acordo com o jornal económico Financial Times, a instituição deverá cortar até 10 mil postos de trabalho, o que representa mais de 4 por cento força de trabalho.

"Desta vez os cortes vão afetar os trabalhadores com salários mais elevados. Creio que a razão se prende uma produtividade aquém da esperada. É que as receitas estão a atravessar um momento difícil. Penso que deverão querer manter a força de vendas e o backoffice por isso não há muito mais para cortar. É por isso que agora o pessoal mais bem pago está no fio da navalha" - refere Alex Wong, gestor de fundos financeiros em Hong Kong.

O banco não comentou esta informação. Há dois meses foi anunciada a supressão de 4 mil postos de trabalho, uma reestruturação com o Brexit e as guerras comerciais que ameaçam as transações globais como pano de fundo. Também em agosto, o HSBC viu o diretor-executivo, John Flint, bater com a porta. O novo patrão, Noel Quinn, pretende desenvolver as operações na Ásia, onde as receitas são mais elevadas.

Apesar destas notícias, o banco britânico viu a receita líquida subir 18,6 por cento no primeiro semestre deste ano, relativamente ao período homólogo de 2018.

No final do mês o HSBC publica os resultados do terceiro trimestre e deverá pronunciar-se sobre a supressão de postos de trabalho,

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

HSBC vai cortar 35 mil empregos

BMW, Jaguar e Volkswagen criticadas por importarem peças e automóveis chineses proibidos

Microsoft compromete-se a investir 4,3 mil milhões de dólares em França