EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Alemanha aposta na formação e projetos sustentáveis em Angola

German Chancellor Angela Merkel (L) and Angola's President Joao Lourenco talk during a contract signing ceremony at the German-Angolan economy forum in Luanda
German Chancellor Angela Merkel (L) and Angola's President Joao Lourenco talk during a contract signing ceremony at the German-Angolan economy forum in Luanda Direitos de autor © 2020 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.
Direitos de autor © 2020 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.
De  Neusa Silva
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Alemanha e Angola aprofundam relações económicas e firmam acordos de parceria durante a visita da chanceler Angela Merkel.

PUBLICIDADE

A chanceler Angela Merkel visitou Angola, depois da visita a África do Sul - país que já integra a iniciativa do G20 para África, e ao lado do presidente João Lourenço abriu o 8.º Fórum económico Angola-Alemanha, que reuniu a mesma mesa empresários angolanos e potenciais investidores alemães.

Seis acordos foram rubricados à margem do fórum económico entre os dois países, tendo sempre salvaguardada a componente da formação de quadros e o investimento em soluções sustentáveis.

O ministro angolano da Energia e Águas, João Baptista Borges, referiu que Angola está particularmente interessada em desenvolver projetos que salvaguardem o meio ambiente, uma área que a Alemanha já domina.

O acordo assinado entre o ministério da Energia e Águas e a empresa alemã Voith prevê um investimento na ordem de 1.060 milhões de euros. No âmbito da sua responsabilidade social, a referida empresa prevê ainda construir uma academia e uma mini-hídrica na região do Bié.

Para o ministro da Energia e Águas de Angola, as soluções trazidas pela Alemanha no domínio das energias renováveis, fazem parte daquilo que é a solução que o país precisa para expandir a sua capacidade de produção e de distribuição de energia nas zonas rurais utilizando recursos energéticos e endógenos, como é o sol e a biomassa.

No domínio dos transportes, o que era apenas um memorando de entendimento passa agora a ser um acordo de cooperação, o que, segundo o ministro dos Transportes Ricardo de Abreu, vai permitir um intercâmbio maior, quer do ponto de vista da regulação, da supervisão e também numa componente muito importante que é a de treinamento e formação.

José Severino, presidente da Associação Industrial de Angola, é de opinião que o investimento alemão deve ser canalizado para o agronegócio, uma área que considera ser estratégica para o alcance da autossuficiência alimentar.

Já o economista Carlos Rosado de Carvalho é de opinião que o reforço da cooperação com a Alemanha e a visita de Merkel a Angola poderão servir para sinalizar uma melhoria efetiva do ambiente de negócios em Angola.

Durante a visita, o chefe de estado angolano clarificou que constam das suas prioridades, a criação de um estado de direito e a consolidação de uma economia de mercado. A chanceler alemã apoiou as reformas em curso classificando como "um passo corajoso e necessário" dados pelas autoridades angolanas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Angola firma acordos na cimeira londrina

Macron recusa nomear novo governo antes do fim dos Jogos Olímpicos

Jogos Olímpicos de Paris 2024 começam hoje com futebol e râguebi