EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Bancos financiaram combustíveis fósseis em 3,8 biliões de dólares

Bancos financiaram combustíveis fósseis em 3,8 biliões de dólares
Direitos de autor Ted Shaffrey/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Ted Shaffrey/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os maiores bancos do mundo financiaram empresas ligadas à exploração de petróleo, gás e carvão, nos últimos cinco anos, de uma forma "chocante", dizem ambientalistas.

PUBLICIDADE

Os 60 maiores bancos do mundo estão a financiar as empresas de combustíveis fósseis. A conclusão é retirada do mais recente relatório de uma coligação de organizações ambientalistas, através do projeto Banking on Climate Chaos, que vai mais longe e afirma que, depois da assinatura do acordo climático de Paris, em 2015, este financiamento chegou já aos 3,8 biliões de dólares.

Apesar da pandemia de covid-19, a tendência do financiamento a nível global é crescente, tendo mesmo, ultrapassado em 2020, os valores atingidos em 2016 e 2017.

Dos bancos analisados, 13 têm sede nos Estados Unidos e no Canadá e são responsáveis por metade do financiamento concedido, entre 2016 e 2020, a projetos ligados à exploração de petróleo, gás e carvão.

As metas climáticas acordadas entre os países obrigam a que parte das reservas destes combustíveis mais poluentes permaneçam no solo. 

Os ambientalistas deixam agora o alerta, financiar novas reservas é "exatamente o oposto" do necessário fazer para cumprir o acordo de Paris e manter o aquecimento global abaixo dos 2 graus Celsius.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Dados climáticos: a nova chave para os processos de decisão do setor financeiro

John Kerry debate cooperação EUA-UE sobre crise climática

Bill Gates e as soluções para "evitar um desastre climático"