EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Rússia diz estar pronta para aumentar exportações de gás

Rússia diz estar pronta para aumentar exportações de gás
Direitos de autor Diritti d'autore REUTERS/Evgenia Novozhenina/Pool
Direitos de autor Diritti d'autore REUTERS/Evgenia Novozhenina/Pool
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente Vladimir Putin diz que a Rússia está pronta para aumentar as exportações de gás, numa altura em que alguns na Europa acusam Moscovo de não querer aumentar intencionalmente o abastecimento numa altura em que o Velho Continente enfrenta uma crise de gás.

PUBLICIDADE

O presidente Vladimir Putin diz que a Rússia está pronta para aumentar as exportações de gás, numa altura em que alguns na Europa acusam Moscovo de não querer aumentar intencionalmente o abastecimento numa altura em que o Velho Continente enfrenta uma crise de gás.

“Se eles nos pedirem para aumentar, estamos prontos para fazê-lo. Estamos a aumentar tanto quanto os nossos parceiros nos estão a pedir”, afirmou o presidente russo, Vladimir Putin,

A Gazprom está atualmente a cumprir as suas obrigações de abastecimento no âmbito de contratos de longo prazo com a Europa, mas o grupo resistiu inicialmente aos pedidos europeus para aumentar as entregas de gás através de vendas em dinheiro.

Alexey Novak, vice-primeiro-ministro da Rússia, aponta o dedo: “Por que aconteceu esta crise, que agora estamos a ver nos preços e na falta de fontes de energia não só na Europa, mas também na Ásia? Em primeiro lugar, aconteceu devido a uma abordagem desequilibrada do planeamento do futuro, à pressão para rejeitar fontes de energia tradicionais, o que faz com que em situações em que não há vento ou dias ensolarados como aconteceu este ano, haja um desequilíbrio entre a oferta e o consumo. Além disso, os contratos de longo prazo para o abastecimento de fontes de energia tradicionais não foram assinados".

Num fórum de energia em Moscovo, Putin, anunciou que a Rússia, um dos maiores poluidores do mundo, quer atingir a neutralidade de carbono até 2060, uma estratégia mais ambiciosa do que a fixada até agora.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Microsoft compromete-se a investir 4,3 mil milhões de dólares em França

Perspetivas económicas da OCDE: Crescimento global estável esperado para 2024 e 2025

Elon Musk em Pequim em busca da aprovação chinesa para desenvolver tecnologia de condução autónoma