EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Inteligência artificial na luta dos hotéis para reduzir o desperdício alimentar

Tudo começa nas compras dos alimentos, diz especialista.
Tudo começa nas compras dos alimentos, diz especialista. Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  Euronews
Partilhe esta notícia
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Empresas pelo mundo fora esforçam-se por uma alimentação mais sustentável

PUBLICIDADE

17% do total de alimentos disponíveis para os consumidores é desperdiçado, estimam as Nações Unidas. 

É um assombroso total de 931 milhões de toneladas métricas de potenciais refeições deitadas ao lixo, enquanto 2,4 mil milhões de pessoas em todo o mundo ainda não têm acesso a comida adequada.

A ONU pede urgentemente aos cidadãos, às empresas e aos governos que trabalhem em conjunto para reduzir o desperdício alimentar e dar forma a uma economia mais circular.

Há hotéis e restaurantes a liderar uma revolução na alimentação sustentável, como é o caso do Hilton Waldorf Astoria, em Lusail, no Qatar, onde os muçulmanos celebram o Ramadão. Um dos pilares desta prática religiosa é o jejum entre o nascer e o pôr-do-sol. 

"Os estudos mostram que durante o Ramadão e também durante outras celebrações e festividades, o desperdício alimentar pode aumentar cerca de 25 a 50%, o que levanta uma preocupação bastante séria", destaca Emma Banks, vice-presidente de Alimentação e Bebidas na Hilton Europa, Médio Oriente e África. 

"Quisemos tornar o nosso Ramadão mais sustentável. Portanto, agora, nos hotéis, colocámos mensagens para a sustentabilidade junto à comida para o suhoor [refeição antes do amanhecer e, portanto, do jejum] e para o iftar [refeição que quebra o jejum, ao final do dia]. O objetivo é fazer os hóspedes refletir sobre o desperdício alimentar", conta Banks.

Além disso, a vice-presidente refere a parceira com a empresa Winnow, que desenvolve "ferramentas de inteligência artificial para ajudar os chefes a terem uma cozinha mais rentável e sustentável, reduzindo o desperdício alimentar para metade", explica David Jackson.

O setor da inteligência artificial em que trabalhamos é a visão computacional, ou seja, estamos a ensinar a máquina a ver e a reconhecer a comida que está a ser deitada fora na cozinha.
David Jackson
Diretor de Marketing, Winnow

"Os nossos dados estão a ajudar as equipas a identificar produtos e áreas específicos dos seus buffets onde os alimentos estão a ser desperdiçados", diz o diretor de Marketing da Winnow.

Assim, a hotelaria e a restauração conseguem implementar medidas mais eficazes em direção a um futuro mais sustentável.

Partilhe esta notícia

Notícias relacionadas

Cooperativa italiana luta contra o desperdício e cria empregos