O impacto do cluster da aviação na região polaca da Silésia

Em parceria com The European Commission
O impacto do cluster da aviação na região polaca da Silésia
Direitos de autor euronews
De  Andrea Bolitho
Partilhe esta notícia
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Criado a partir da indústria de planadores implantada na região, o cluster polaco alberga atualmente 120 empresas do setor aeroespacial.

Vamos até ao sudoeste da Polónia para conhecer um cluster aeroespacial, situado numa região que foi durante décadas dependente da extração do carvão.

"O que era o nosso ouro há 100 anos tornou-se num fardo, especialmente no que diz respeito ao ambiente. Temos de transformar esta região de carvão numa região de futuro", disse à euronews Krzysztof Krystowski, Presidente do Cluster de Aviação da Silésia.

Criado a partir da indústria de planadores implantada na região, o cluster polaco alberga atualmente 120 empresas do setor aeroespacial.

A KP Labs faz parte do cluster desde que foi fundada em 2016 com apenas 3 pessoas. Atualmente, possui um alcance internacional.

Krzysztof Krystowski, Presidente do Cluster de Aviação da Silésia, na Polónia
Krzysztof Krystowski, Presidente do Cluster de Aviação da Silésia, na PolóniaEuronews

O lançamento do nanosatélite Intuition 1

No ano passado, a KP Labs enviou para o espaço o nanosatélite Intuition 1 e uma unidade de processamento de dados a bordo denominada Leopard, no Falcon 9 da SpaceX de Elon Musk. A missão Intuition-1 é co-financiada pelo Centro Nacional de Investigação e Desenvolvimento polaco.

"As imagens do sensor vão para o Leopard, depois o Leopard executa diferentes algoritmos, diferentes operações e depois descarregamos essa informação que é enviada para a estação terrestre", explicou Helena Milevych, Diretora de Produtos da KP Labs.

Para que servem os dados de observação da Terra?

O processamento dos dados de observação da Terra a bordo reduz a distância entre a deteção de um problema e uma evential resposta, por exemplo, em caso de incêndio, inundação ou monitorização de culturas agrícolas.

"Normalmente, vê-se todo o campo verde ou amarelo. Mas, por vezes, quando há algo de errado com as culturas, por exemplo, a doença começa a desenvolver-se e não damos por isso, porque a cor que se vê não muda. A imagem hiper-espetral é mais complexa, podemos ver dez tons diferentes de verde. Ajuda-nos a ver que algo de mau está a acontecer antes que os humanos se apercebam", detalhou Grzegorz Łada, Diretor de Operações da KP Labs.

O projeto de cartografia do solo é uma colaboração com a Agência Espacial Europeia.

"Uma das maiores conferências em que participámos foi a Space Tech Expo, nos EUA, foi muito importante, foi a primeira conferência para nós e tivemos a oportunidade de lá ir graças à nossa cooperação com o cluster", afirmou Helena Milevych.

Helena Milevych, Diretora de Produtos da KP Labs
Helena Milevych, Diretora de Produtos da KP LabsEuronews

O apoio da União Europeia

Em tempos, a extração de minérios desempenhou um papel vital na Silésia. Mas, desde a década de 1990, o sector foi dizimado. A União Europeia e o investimento estrangeiro, bem como a existência, na região, de um conjunto de pessoas qualificadas, levaram à criação do cluster da aviação. Considerado como um projeto chave, o cluster beneficia de financiamento governamental.

"Anualmente, conseguimos organizar cerca de 70, 75, 80 missões comerciais diferentes em todo o mundo para os nossos membros. É muito importante. Gastamos cerca de 2 milhões de euros por ano para apoiar os nossos membros para que possam promover as suas exportações", disse Krzysztof Krystowski, Presidente do Grupo de Aviação da Silésia.

Na Europa, existem centenas de clusters, como, por exemplo, a Silicon Saxony, na Alemanha, líder mundial na produção de microeletrónica, ou a Mine The Gap, uma rede de clusters no setor das matérias-primas fundamentais. Estas estruturas promovem a competitividade, a resiliência e a inovação.

Clusters reduzem desemprego regional

Os clusters são concentrações geográficas não só de empresas, mas também de centros de investigação e desenvolvimento, universidades, fornecedores, e prestadores de serviços. Aumentam o PIB regional e reduzem o desemprego. Cerca de 70 por cento das empresas dos clusters são PME. Nalguns casos, os clusters podem ser uma tábua de salvação.

"A Covid matou completamente a aviação durante algum tempo e, nesse momento, a participação no cluster tornou-se muito proveitosa para nós, porque o cluster deu-nos a oportunidade de obter algum equipamento e este equipamento foi a chave para ter novos produtos", contou Andrzej Papiorek, Diretor Executivo da empresa Wytwórnia Konstrukcji Kompozytowych.

A empresa especializa-se atualmente no fabrico de peças para drones. "Representa 80% da nossa atividade. Estamos a produzir drones para fins militares, e componentes para drones. Para ser sincero, não consigo imaginar neste momento o que aconteceria se não fossemos membros do cluster, para mim é um elemento fundamental", concluiu Andrzej Papiorek.

Partilhe esta notícia

Notícias relacionadas

Enterprise Europe Network apoia internacionalização das pequenas empresas dos têxteis inteligentes

Roupa inteligente fornece eletrocardiograma e monitoriza saúde

PME europeias querem prazos de pagamento mais justos