Poderá a Europa eletrificar-se rapidamente para cumprir os seus objetivos energéticos e climáticos?

Poderá a Europa eletrificar-se rapidamente para cumprir os seus objetivos energéticos e climáticos?
Direitos de autor euronews
De  Jeremy Wilks
Partilhe esta notícia
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Veja os melhores momentos do debate em direto no Parlamento Europeu, onde reunimos especialistas da política e da indústria para discutir o desenvolvimento das energias renováveis, a construção de novas redes inteligentes e o objetivo de atingir zero emissões líquidas até 2050.

PUBLICIDADE

A Europa está na via da eletrificação rápida. Neste debate do Euronews, discutimos a forma como o novo Parlamento Europeu e a nova Comissão vão gerir a série radical de implementações e reformas necessárias para cumprir os objetivos energéticos e climáticos da UE.

A tarefa que se coloca aos políticos e aos responsáveis após as eleições europeias de junho é clara. Têm de atingir uma quota de 42,5% de energias renováveis até 2030, pôr em marcha a recomendação de reduzir as emissões de gases com efeito de estufa em 90% até 2040 e preparar o caminho para o objetivo final da UE de atingir zero emissões líquidas até 2050. A questão é como vão fazer isso acontecer?

Num debate em direto no Parlamento Europeu, o Euronews reuniu especialistas da política e da indústria para discutir o desenvolvimento das energias renováveis, a construção de novas redes inteligentes e o cumprimento dos nossos objetivos de redução de emissões.

Os nossos convidados incluíram Eva Chamizo, diretora de assuntos europeus da Iberdrola, o eurodeputado holandês Mohamed Chahim, o conselheiro da Comissão Europeia para a transição verde e a regulação do mercado, Tom Howes, e o diretor de políticas da WindEurope, Pierre Tardieu.

Com as eleições europeias no horizonte, debatemos a possibilidade de os eleitores se oporem às políticas de redução das emissões e as possíveis implicações para as ambições da UE de eletrificação com energias renováveis.

Partilhe esta notícia