"A Bela e o Monstro": Jonh Legend acredita que o filme é uma alegoria às políticas de Trump

"A Bela e o Monstro": Jonh Legend acredita que o filme é uma alegoria às políticas de Trump
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

John Legend deixa um apelo à indústria do cinema: é necessário reagir contra o que chama de “mensagem de ódio e de medo de Donald Trump.

PUBLICIDADE

John Legend deixa um apelo à indústria do cinema: é necessário reagir contra o que chama de “mensagem de ódio e de medo de Donald Trump.
O músico, em dueto com a cantora e atriz Ariana Grande, canta a nova versão do tema do novo filme “A Bela e o Monstro”, considerado uma alegoria das novas medidas do presidente norte-americano contra a emigração e os cidadãos de sete países muçulmanos: a Bela é uma jovem feita refém pelo Monstro, que apenas a quer trocar pela liberdade.

Legend apela a um compromisso da indústria cinematográfica para que se mostre a realidade de quem quer vir para os Estados Unidos. “Acredito que neste momento em que estamos a ver o presidente Trump, que quer espalhar uma mensagem de ódio e medo, divisão e exclusão…nós enquanto criativos e produtores de conteúdos, temos o poder de contar histórias diferentes, histórias de humanidade no mundo, de quem é marginalizado, refugiados e migrantes. Esta é uma nação de imigrantes”.

O cantor sublinha ainda que “acredito no que diz a Estátua da Liberdade sobre como devemos receber gente de todo o mundo, gente que passou por dificuldades, pela guerra e pela opressão. Os Estados Unidos devem continuar a receber esspas pessoas de braços abertos e os produtores têm a responsabilidade de fazer passar esta mensagem”.

A Bela e o Monstro, que conta com Emma Watson e Dan Stevens nos papeís principais, chega aos cinemas em março.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Os grandes filmes dos Prémios do Cinema Europeu 2023

Monica Bellucci leva Maria Callas ao Festival de Cinema de Salónica

Realizador alemão Wim Wenders recebe Prémio Lumière em Lyon