EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Os melhores momentos da Berlinale

Os melhores momentos da Berlinale
Direitos de autor REUTERS/Fabrizio Bensch
Direitos de autor REUTERS/Fabrizio Bensch
De  Nara Madeira
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A euronews recupera os melhores "takes" do festival de cinema de Berlim.

PUBLICIDADE

Ao fim de 10 dias o festival de Berlim terminou com Bill Murray na passadeira vermelha:

"Mais de 400 filmes, 19 deles em competição para o Urso de Ouro. O realizador de cinema alemão, Tom Tykwer, foi o presidente do júri. 

Apresentamos alguns pontos altos do certame e revemos os principais vencedores da edição deste ano.

Wes Anderson e Bill Murray tocaram bateria na noite de abertura. Jeff Goldblum, Tilda Swinton e Bryan Cranston estiveram entre as estrelas de Hollywood. Entre as europeias estiveram Robert Pattinson, Isabelle Hupert e o músico britânico Ed Sheeran.

Willelm Dafoe foi homenageado pelas suas conquistas.

Um grande momento para o cinema romeno, a realizadora Adina Pintilie, venceu o Urso de Ouro para melhor filme, a sua mistura entre ficção e documentário também foi premiada como melhor primeiro filme.

A cineasta filmou com amadores e atores profissionais e ela própria embarcou numa viagem onde se explora e ultrapassa os limites em termos de experiências sexuais:

"O filme convida o espectador a desafiar a sua perspetiva sobre a intimidade, a beleza, sobre a forma como as pessoas podem relacionar-se entre si e abraçar a diferença", referiu a realizadora.

O francês Anthony Bajon foi galardoado como o prémio para melhor ator pelo seu desempenho, enquanto protagonista, no filme Céderic Kahn.

O ator convenceu o júri com seu retrato, emocionalmente cruel, de um jovem que luta para superar a sua dependência das drogas num retiro católico nos Alpes.

"É impressionante. Nunca é fácil enervarmo-nos no grande ecrã porque é algo que tem de surgir naturalmente, e as cenas seguiam-se uma após a outra. Eram muitas e, portanto, era preciso manter a mesma energia, renová-la sempre: é isso que é complicado", explicou o ator.

O galardão para melhor atriz foi para Anna Brun pela sua interpretação de uma lésbica idosa que toma as rédeas da sua vida depois de a sua companheira ir para a prisão.

O filme paraguaiano de Marcelo Martinessi ganhou o prémio da imprensa internacional (FIPRESCI) e um Urso de Prata para melhor filme que abre novas perspetivas:

"Gostaria de agradecer a este grande elenco de mulheres que, realmente, encarnou as personagens, muito obrigado", adiantou Martinessi.

Outro Urso de Prata, mas para melhor realizador foi atribuído a Wes Anderson para o filme de animação "Isle of Dogs". Bill Murray, uma das estrelas caninas, aceitou o prémio em nome do cineasta:

PUBLICIDADE

"Nunca pensei que trabalharia como um cão e voltaria para casa com um urso", brincou Murray.

O urso de prata do Grande Júri foi para o filme "Twarz" de Marguxata Xumarxca Małgorzata Szumowska, da Polónia.

A película retrata um jovem alvo de uma operação plástica após um acidente que começa a perder a sua identidade e a ser rejeitado pela sociedade que já não o reconhece.

"Estou extremamente feliz, completamente feliz!" - Afirmou a realizadora.

PUBLICIDADE
Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Os grandes filmes dos Prémios do Cinema Europeu 2023

Monica Bellucci leva Maria Callas ao Festival de Cinema de Salónica

Realizador alemão Wim Wenders recebe Prémio Lumière em Lyon