This content is not available in your region

Ucrânia e ambiente marcam regresso do Festival de Glastonbury

euronews_icons_loading
Uma escultura de barro simboliza a necessidade de água
Uma escultura de barro simboliza a necessidade de água   -   Direitos de autor  AP Photo
De  euronews

O festival de verão de Glastonbury é o maior festival do verão, no sul de Inglaterra, e está de volta após um interregno de dois anos devido à pandemia da Covid-19.

Mantendo-se fiel à tradição, além da música, o certame apela ao envolvimento político e ecológico.

Cerca de 3.000 sanitários secos sustentáveis foram instalados em todo o recinto.

Uma escultura de barro simboliza a necessidade de água.

A porta-voz da WaterAid, Jemima Young, explica a iniciativa: "É uma forma divertida, mas também queremos passar uma mensagem bastante séria. Assim, durante todo o festival, a estátua secará ou rachará se estiver quente ou derreterá se chover, como aconteceu mais cedo. E isso é realmente para representar os milhões de pessoas em todo o mundo cujas casas de banho estão a ser afetadas pelas alterações climáticas por inundações, por secas... Todas estas pessoas estão a perder o acesso às necessidades vitais".

Greta Thunberg foi uma das surpresas. A ativista sueca alertou que o mundo enfrenta “uma catástrofe natural total” e pediu aos jovens que digam basta.

"Estamos a aproximar-nos do precipício e eu sugiro vivamente que todos aqueles que ainda não sofreram uma lavagem verde que se mantenham firmes. Não os deixem arrastar-nos nem mais um centímetro para mais perto do precipício. Neste momento é onde traçamos a linha", disse.

Além das alterações climáticas, também a guerra na Ucrânia foi abordada no festival de Glastonbury.

O presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy dirigiu-se às dezenas de milhares de festivaleiros, via videoconferência, para lhes recordar que o seu povo quer recuperar a liberdade e a independência para poder, também, celebar a música.

O grupo ucraniano Kalush Orchestra, que ganhou a edição deste ano do Festival Eurovisão da Canção, marcou também presença.

Os músicos esperam que em 2023 a Ucrânia possa já receber a grande celebração da música europeia.

"É uma pena, mas há muitas discussões neste momento, por isso ainda não se sabe se o festival será no Reino Unido. Continuo à espera que a Eurovisão se realize na Ucrânia e que o Governo consiga realizar a Eurovisão na Ucrânia", afirmou o músico Oleg Psyuk.

A música, as alterações climáticas e a guerra na Ucrânia, marcaram o regressso do Festival de Glastonbury, na Inglaterra.