EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Ilhas Maurícias querem atrair reformados

Ilhas Maurícias querem atrair reformados
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  Gorkem Sifael
Partilhe esta notícia
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Eugen Louis Rothen é reformado de origem suíça e mudou-se para as ilhas Maurícias há um ano.

PUBLICIDADE

Eugen Louis Rothen é reformado de origem suíça e mudou-se para as ilhas Maurícias há um ano.

Quando se reformou na Primavera de 2021, Eugen Louis Rothen recordou as "belas férias" passadas na ilha, em 2019. Ele e a mulher decidiram mudar-se para as ilhas Maurícias.

O casal quis ficar a viver em Black River, no lado oeste da ilha. "Para a vida de reformados, penso que é muito agradável viver aqui porque tudo está perto. Temos as montanhas e a beira-mar", disse Eugen Louis Rothen.

Expandi o meu horizonte com a cozinha local. Agora faço a minha própria cozinha suíço-creoula
Eugen Louis Rothen

Além de terem acesso a ginásios e termas, Eugen e a esposa frequentam as várias praias situadas a uma curta distância a pé de casa. "Um lugar muito agradável para relaxar. Todas as famílias locais fazem piqueniques na praia e trazem a sua música. Às vezes, perguntamos-lhes se podemos dançar. Mas, a maioria das vezes, eles chamam-nos para dançar com eles ", contou Eugen Louis Rothen.

A paixão pela cozinha local

A cozinha é uma das paixões do cidadão suíço a viver nas ilhas Maurícias.

“Podemos comprar todo o tipo de produtos aqui, comida de toda a Europa. Há muitas lojas com especialidades diferentes, mercearias italianas, lojas francesas ou alemãs, com a mesma qualidade que numa loja na Suíça; temos queijo italiano original ou queijo suíço. Há comércio em toda a ilha. Não só na capital. Podemos fazer compras em toda a ilha”, explicou Eugen Louis Rothen.

A cozinha local levou-o a experimentar novos sabores. "Expandi o meu horizonte com a cozinha local. Agora faço a minha própria cozinha suíço-creoula", acrescentou Eugen. E concluiu: “Pediram-me para ajudar a cozinhar num hotel muito perto daqui, uma noite ou dois dias por semana. Talvez um dia diremos que já não estamos reformados!”

Partilhe esta notícia

Notícias relacionadas

De França para a Maurícia

Natalie Lankester: "os cavalos são capazes de estabelecer uma relação forte connosco"