Que países europeus são os melhores em línguas estrangeiras?

65% da população do continente europeu fala pelo menos uma língua estrangeira
65% da população do continente europeu fala pelo menos uma língua estrangeira Direitos de autor Euronews
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O Dia Internacional da Língua Materna é celebrado anualmente a 21 de fevereiro, com o objetivo de proteger, promover e preservar as línguas faladas por todos os povos. Isso fez com que o Euronews Culture questionasse: que países europeus são os melhores a falar mais de um idioma?

PUBLICIDADE

O Dia Internacional da Língua Materna é celebrado anualmente a 21 de fevereiro, com o objetivo de proteger, promover e preservar as línguas faladas por todos os povos. A  data foi criada na 30ª Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) em 1999 e reconhecida pela ONU em 2002, através da Resolução 56/262 da Assembleia Geral. 

Isso fez com que o Euronews Culture questionasse: que países europeus são os melhores a falar mais de um idioma?

Em geral, os europeus são muito bons em idiomas. Cerca de 65% da população do continente fala pelo menos um idioma diferente da sua língua nativa. Como termo de comparação, apenas cerca de 20 por cento dos adultos dos EUA falam uma língua estrangeira.

Existem variações significativas entre as regiões. Os países nórdicos destacam-se no bilinguismo, enquanto o sul da Europa tem um pouco mais de dificuldade. Talvez sem surpresa, os países onde o inglês é a língua nativa não parecem estar interessados em aprender uma língua estrangeira. Apenas 50 por cento dos irlandeses falam outra língua e a pior pontuação da Europa vai para o Reino Unido, com apenas 34 por cento.

Como as pessoas se tornam bilingues (ou multilingues)?

Ser fluente em vários idiomas é uma competência frequentemente elogiada no mundo profissional (e claro na Torre de Babel da Euronews!). É também uma ótima maneira de aprender sobre diferentes culturas e poder comunicar-se com pessoas de todo o mundo.

Existem duas maneiras principais pelas quais as pessoas se tornam bilingues: ou nascem numa família bilingue ou aprendem uma segunda língua na escola, ou mesmo mais tarde na vida, ao viajar, por exemplo.

O que os especialistas concordam é que quanto mais cedo se aprende um segundo idioma, mais fácil é dominá-lo. Existem duas técnicas principais recomendadas aos pais por especialistas em desenvolvimento da linguagem.

A primeira é ensinar a língua minoritária em casa. Por exemplo, dois pais alemães que criem os seus filhos na Suécia só falam alemão em casa e permitem que seus filhos se tornem fluentes em sueco ao serem expostos ao idioma em todos os lugares fora de casa.

A outra técnica comum é chamada de "uma pessoa-um idioma". Por exemplo, uma mãe polaca e um pai eslovaco que criem um filho juntos na Hungria. A mãe falará apenas polaco com a criança e o pai apenas eslovaco. Na maioria das vezes, em tais situações, os pais terão outro idioma para se comunicar, seja o idioma do país em que vivem, o inglês ou um dos idiomas do casal.

Já deve ter ouvido que "crianças bilingues têm um atraso na fala". É parcialmente verdade. As crianças que aprendem duas línguas (ou mais) desde o nascimento adquirem a mesma quantidade de vocabulário total que os seus colegas monolingues da mesma idade, mas o número de palavras que conhecem é dividido por duas línguas.

Ao falar apenas um, pode parecer que falta o que é considerado um vocabulário normal para sua idade, o que seria o caso se conhecessem apenas um idioma. Essa disparidade desaparece rapidamente à medida que a criança continua a crescer.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

'Poder da Linguagem': 5 maneiras diferentes como os cérebros multilingues funcionam

Iris Apfel, ícone da moda, morre aos 102 anos

Atriz Judith Godrèche pede inquérito aos abusos sexuais no cinema francês