EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Local do assassinato de Júlio César em Roma está aberto ao público

Largo Argentina, em Roma, onde Júlio César foi assassinado.
Largo Argentina, em Roma, onde Júlio César foi assassinado. Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Giorgia Orlandi com Verónica Romano
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Nesta praça, decorreu um dos mais famosos assassinatos políticos de sempre

PUBLICIDADE

Neste espaço, fez-se história. 

Júlio César, o líder mais poderoso da Roma antiga, foi esfaqueado até à morte em 44 a.C., no interior da Cúria de Pompeu, um grande salão retangular onde o Senado romano se reunia.

É um dos mais famosos assassinatos políticos de sempre, que marcou a transição da República Romana para o Império Romano.

O local onde tudo aconteceu abriu ao público na semana passada.

"Conseguimos reconhecer as paredes externas da sala onde o assassínio ocorreu. A descrição do local corresponde ao que vemos", assegura Claudio Parisi Presicce, o responsável do Capitólio para o Património Cultural.

As pessoas podem agora circular livremente no interior da praça e ver de perto as ruínas. Há ainda uma exposição com os objetos recolhidos durante as escavações.

Ver o lugar exato onde decorreu o episódio certamente acrescenta emoção e dá-nos a capacidade de nos vermos como parte daquela história.
Claudio Parisi Presicce
Responsável Capitólio para Património Cultural

Os visitantes confirmam o fascínio. "Estar tão perto de onde foi feita História tão significativa é arrebatador", sente uma turista.

Também os locais acolheram a abertura com agrado. 

"Pode-se dizer que aqui [na praça] nasceu o Império Romano, que fez grande Roma. Para nós, romanos, isso significa tudo", admite um visitante.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Raro mosaico da era romana descoberto na Síria

Odessa na lista do Património Mundial ameaçado da Unesco

Robô vai reconstruir ruínas de Pompeia