EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Visitantes convidados a "espremer-se" entre modelos nus na nova retrospetiva de Marina Abramović

Marina Abramović foi aclamada em todo o mundo como artista performativa
Marina Abramović foi aclamada em todo o mundo como artista performativa Direitos de autor Credit: Royal Academy of Arts, London
Direitos de autor Credit: Royal Academy of Arts, London
De  Theo FarrantAP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Durante décadas, artista sérvia testou constantemente os limites da sua própria resistência física e mental. Agora, o seu trabalho está a ser apresentado na primeira retrospetiva no Reino Unido.

PUBLICIDADE

Marina Abramović, a famosa artista performativa sérvia, está a ser homenageada com uma prestigiada exposição retrospetiva na famosa Royal Academy of Arts, em Londres.

Com uma reputação de ultrapassar incansavelmente os limites da resistência física e mental em nome da arte, o corpo de trabalho único e provocador de Abramović foi reunido para uma incrível exposição.

Em particular, a retrospetiva marca a primeira exposição da Royal Academy of Arts dedicada a uma artista feminina e a incursão inaugural da instituição no domínio da arte performativa.

Os visitantes são também encorajados a envolver-se ativamente no mundo da arte performativa.

Uma das entradas da exposição é guardada por dois modelos nus, convidando os visitantes a espremerem-se pela passagem estreita entre eles numa peça intitulada Imponderabilia, originalmente realizada por Abramović e Ulay em 1977.

Quem é Marina Abramović?

Credit: AFP
Artista performativa sérvia Marina Abramović posa em pé ao lado de uma das suas obras de arte durante uma sessão fotográfica na Royal Academy of Arts (RA) em Londres.Credit: AFP

Ao longo de uma carreira de cinco décadas, Marina Abramović foi aclamada em todo o mundo como uma das principais pioneiras da arte performativa.

É famosa por testar consistentemente os limites da sua própria resistência mental e física ao longo do seu trabalho - e por convidar o público a segui-la no processo.

A artista sérvia causou um enorme impacto no mundo da arte com obras espetaculares, incluindo Rhythm 0, de 1974, quando Abramović convidou o público a interagir com ela usando um dos 72 objetos numa mesa à sua frente num espaço de eventos em Nápoles.

Embora as pessoas tenham começado de forma branda - oferecendo-lhe uma rosa ou um beijo - a performance de seis horas terminou com uma arma carregada apontada à sua cabeça.

Credit: AP Photo
Abramović, à direita, e um visitante do Museu de Arte Moderna apresentam "The Artist is Present" a 15 de março de 2010 em Nova Iorque.Credit: AP Photo

Trabalhos posteriores, incluindo The Artist Is Present, de 2010, realizado no Museu de Arte Moderna de Nova Iorque, encorajaram os espetadores a questionar as suas próprias emoções enquanto se sentavam em silêncio em frente a Abramović, durante mais de 700 horas.

A resposta foi surpreendente, pois mais de 1500 indivíduos de todos os quadrantes da sociedade participaram nesta experiência partilhada, muitas vezes levados às lágrimas pela profunda ligação que estabeleceram com o artista.

O que é que está patente na exposição?

Credit: AFP
Uma assistente de galeria posa com uma obra de arte intitulada "Quatro Cruzes", da artista performativa sérvia Marina Abramović, durante sessão fotográfica na Royal Academy.Credit: AFP

A exposição apresenta uma viagem imersiva através do trabalho da artista, mostrando não só objetos e adereços utilizados durante as suas ousadas atuações, mas também um tesouro de fotografias e vídeos que captam estes momentos profundos de expressão artística.

Uma das suas performances mais emblemáticas, "Balkan Baroque", encenada na Bienal de Veneza em 1997, ocupa um lugar de destaque na exposição.

Neste trabalho visceral, Abramović lavou meticulosamente uma pilha de ossos cobertos de sangue, um reflexo da sua profunda ligação à sua herança, que lhe valeu o prestigiado prémio Leão de Ouro.

Além disso, a exposição da Royal Academy revela quatro atuações ao vivo, fora dos limites da cobertura mediática e do registo dos visitantes, realizadas por outros artistas em nome de Abramović.

Credit: Royal Academy of Arts London / David Parry
"Nude with Skeleton" - Performance ao vivo de Madinah Farhannah Thompson.Credit: Royal Academy of Arts London / David Parry

Talvez a mais cativante destas re-imaginações seja The House with the Ocean View, onde os artistas residirão num espaço confinado durante 12 dias consecutivos, 24 horas por dia.

Axel Rüger, secretário e diretor executivo da Royal Academy of Arts, reflete sobre o significado da exposição: "É verdade que, na Royal Academy, não fizemos muito com a arte performativa no passado, por isso é um capítulo totalmente novo para nós fazermos isto."

"Marina está a passar o testemunho, por assim dizer, para a próxima geração de jovens artistas performativos, que estão a repetir as suas performances", acrescentou.

PUBLICIDADE

A retrospetiva está patente na Royal Academy of Arts de 23 de setembro a 1 de janeiro de 2024.

Veja este vídeo para conhecer o interior da exposição.

Editor de vídeo • Theo Farrant

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

World Press Photo passa em Budapeste

Cabra de cerâmica do rei Carlos III é vendida em leilão por 13 000 euros

Dos ursos polares aos dragões de lava: as fotos dos Drone Photo Awards 2024 vão deixá-lo de queixo caído