EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

"O maior movimento antissemita desde os nazis', diz o ator Sacha Baron Cohen

Celebridades judias pedem ao TikTok que aborde o antissemitismo
Celebridades judias pedem ao TikTok que aborde o antissemitismo Direitos de autor  Evan Agostini/Invision/AP - AP Photo/Matt Sayles
Direitos de autor  Evan Agostini/Invision/AP - AP Photo/Matt Sayles
De  David Mouriquand
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

"O maior movimento antissemita desde os nazis": Celebridades judaicas apelam ao TikTok para que aborde a questão do antissemitismo, uma vez que os conteúdos de ódio estão a aumentar desde 7 de outubro.

PUBLICIDADE

Um grupo de celebridades e influenciadores judeus reuniu-se com os executivos da aplicação de vídeo TikTok para manifestar as suas preocupações.

Mais de 30 pessoas participaram na videochamada de 90 minutos, incluindo os atores Sacha Baron Cohen, Debra Messing e Amy Schumer, a convite do TikTok. O grupo está alarmado com o aumento de conteúdos antissemitas e de desinformação na aplicação, na sequência do ataque do Hamas de 7 de outubro.

A reunião foi noticiada pelo New York Times.

"O que está a acontecer no TikTok é que está a criar o maior movimento antissemita desde os nazis. Que vergonha", disse Cohen aos executivos, de acordo com o áudio da reunião. "Se pensarmos no dia 7 de outubro, a razão pela qual o Hamas foi capaz de decapitar jovens e violar mulheres foi porque eles foram alimentados com imagens de quando eram crianças pequenas que os levaram ao ódio", acrescentou. 

Messing questionou por que razão o TikTok não está a bloquear o slogan "Do Rio ao Mar", que muitos interpretam como um apelo ao extermínio de Israel, da aplicação.

O TikTok respondeu através de uma declaração: "Reconhecemos que este é um momento incrivelmente difícil e temeroso para milhões de pessoas em todo o mundo e na nossa comunidade TikTok.__A nossa liderança tem reunido com criadores, sociedade civil, especialistas em direitos humanos e partes interessadas para ouvir as suas experiências e comentários sobre como o TikTok pode continuar a ser um local de comunidade, descoberta e partilha autêntica".

O TikTok reforçou os seus esforços para eliminar contas falsas. De acordo com a empresa, desde o ataque de 7 de outubro do Hamas contra Israel, removeu mais de 24 milhões de contas falsas em todo o mundo e mais de 500.000 "comentários de robôs" sobre conteúdos com hashtags relacionadas com o conflito.

De acordo com a Liga Antidifamação, uma ONG judaica internacional com sede nos Estados Unidos, os conteúdos antissemitas aumentaram mais de 919% no X e 28% no Facebook desde o ataque de 7 de outubro.

Outras fontes • New York Times, Variety

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ativistas denunciam aumento do vandalismo antissemita na Alemanha

Polícia britânica prende ativistas da Just Stop Oil que vandalizaram Stonehenge

O que é este novo e misterioso monólito e quem está por detrás dele?