Arqueólogos descobrem túmulo egípcio antigo com 4.500 anos e tesouros

Um sarcófago com uma múmia no interior, descoberto na Necrópole de Saqqara em Mênfis, Egipto.
Um sarcófago com uma múmia no interior, descoberto na Necrópole de Saqqara em Mênfis, Egipto. Direitos de autor Credit: Egyptian Ministry of Tourism & Antiquities
De  Theo Farrant
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Foram descobertos tesouros notáveis no túmulo, incluindo um enterro de uma criança da Segunda Dinastia, um vaso de alabastro bem preservado da 18ª Dinastia e estátuas de terracota que representam Ísis e Harpócrates.

PUBLICIDADE

Arqueólogos fizeram uma descoberta inovadora na necrópole de Saqqara, situada a cerca de 32 quilómetros a sul do Cairo, ao revelarem um antigo túmulo egípcio esculpido na rocha há mais de 4.000 anos.

A notável descoberta, recentemente confirmada pelo Ministério do Turismo e das Antiguidades do Egipto, foi trazida à luz do dia por um esforço de colaboração entre arqueólogos egípcios e japoneses.

O túmulo, datado de 2649 a 2150 a.C. e com várias sepulturas e artefactos que abrangem diferentes períodos históricos, "fornece informações inestimáveis sobre a história desta região", disse Nozomu Kawai, o chefe da equipa japonesa.

Uma máscara colorida encontrada numa sepultura em Saqqara.
Uma máscara colorida encontrada numa sepultura em Saqqara.Ministério do Turismo e das Antiguidades do Egipto
Este enterro data da Segunda Dinastia, há cerca de 4800 anos. Mostra um indivíduo agachado dentro dos restos de uma caixa de madeira.
Este enterro data da Segunda Dinastia, há cerca de 4800 anos. Mostra um indivíduo agachado dentro dos restos de uma caixa de madeira.Ministério do Turismo e das Antiguidades do Egipto

A equipa internacional desenterrou uma miríade de tesouros durante a sua missão, incluindo enterros, elementos arquitetónicos e uma série de artefactos fascinantes.

Nomeadamente, descobriram os restos mortais de um humano enterrado ao lado de uma máscara de cores vivas, bem como um local de enterro de uma criança pequena que remonta à Segunda Dinastia (2890-2686 a.C.).

No interior do túmulo, um caixão da XVIII Dinastia (1550-1295 a.C.) revelou um vaso de alabastro notavelmente preservado.

Uma relíquia que diz ter sido criada para um homem chamado Heroide (à esquerda) e um sarcófago com uma múmia no interior (à direita).
Uma relíquia que diz ter sido criada para um homem chamado Heroide (à esquerda) e um sarcófago com uma múmia no interior (à direita).Ministério do Turismo e das Antiguidades do Egipto

Além disso, foram descobertas duas estátuas de terracota representando a antiga deusa egípcia Ísis, inicialmente associada a práticas funerárias, e a divindade infantil Harpócrates, conhecida como o deus do silêncio e dos segredos durante o período ptolomaico.

Outros achados incluem uma estela, uma laje de pedra esculpida, com uma inscrição que a identifica como pertencendo a um homem chamado "Heroides", vários amuletos e ostraca (pedaços de cerâmica quebrada).

Uma riqueza de descobertas recentes

Saqqara é uma vasta necrópole situada em Mênfis, capital do Egipto. É Património Mundial da UNESCO e alberga mais de uma dúzia de pirâmides, incluindo as famosas Pirâmides de Gizé, bem como pirâmides mais pequenas em Abu Sir, Dahshur e Abu Ruwaysh.

Nos últimos anos, as autoridades egípcias anunciaram uma série de descobertas arqueológicas em locais importantes do país.

No passado mês de janeiro, foram apresentados os resultados de uma escavação de um ano em Saqqara - os achados incluíam dois túmulos antigos da quinta e sexta dinastias do Reino Antigo (cerca de 2500-2100 a.C.) e um sarcófago bem preservado.

Na mesma altura, dezenas de sepulturas da era do Novo Reino, datadas de 1800-1600 a.C., foram encontradas perto da cidade de Luxor, no sul do país, juntamente com as ruínas de uma antiga cidade romana.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Egípcios pedem ao British Museum para devolver Pedra de Roseta

"Faraós Superstars": a civilização egípcia na Fundação Gulbenkian

Inauguração do novo Museu Nacional da Civilização Egípcia